Publicidade

Polícia Civil apresenta providências referentes ao acidente na BR-381

Postado em 06/12/2020 7:00

A Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) divulgou, na tarde de sábado (5/12), detalhes do acidente ocorrido na BR-381, próximo a João Monlevade, região Central, e divulgou os trabalhos realizados pelas equipes da instituição.

Desde a ocorrência, a PCMG atua em diversas frentes: investigação policial, perícia criminal, procedimentos médico-legais e de identificação dos corpos, bem como atendimento humanizado aos familiares das vítimas. O ônibus saiu de Santa Cruz do Deserto, povoado de Mata Grande, no estado do Alagoas, com destino a São Paulo.

O delegado assistente da Chefia da PCMG, Rodrigo Bustamante, informou que, até o momento, o acidente possui 45 envolvidos. Desses, 16 vítimas ainda estão hospitalizadas, sete receberam alta hospitalar, 18 vieram a óbito, três pessoas não precisaram de atendimento médico e uma não foi localizada. O delegado destacou o acolhimento dispensado aos familiares das vítimas que estão chegando a Belo Horizonte e aguardam a liberação dos corpos. “A Polícia Civil se preocupa não apenas em prestar um serviço de investigação e identificação com eficiência, mas, em nome do Estado, estamos acolhendo as famílias, disponibilizando alimentação e hospedagem, até que possamos concluir esta complexa etapa de identificação de corpos”, pontuou.

Advertisement

A perita criminal Daniella Rodrigues Caldas Leite esclareceu questões sobre a dinâmica do acidente. “O ônibus vinha em direção ascendente na ponte, e, de ré, colidindo primeiro a parte traseira, caiu de uma altura de 26 metros. Em seguida, com o impulso, o veículo girou e um novo choque, da parte dianteira, provocou a queda de 34,5 metros de altura em relação à ponte”, explicou. O veículo está sendo periciado, assim como seu tacógrafo, que já foi inteiramente retirado. O laudo poderá apontar a velocidade do ônibus no momento do acidente e o que teria ocasionado a descida do veículo.

Em relação aos procedimentos médico-legais, todas as 18 necropsias já foram finalizadas, segundo o superintendente de Polícia Técnico-Científica, Thales Bittencourt. Quanto à identificação dos corpos, três já foram identificados. “Estamos em contato com os institutos de identificação dos estados de Alagoas, Bahia, Santa Catarina e São Paulo a fim de que nos enviem as imagens para comparação e devida identificação”, detalhou.

O delegado responsável pela investigação, Paulo Tavares, informou que, até a tarde de sábado, oito vítimas já foram ouvidas. Ele pontua também a questão referente ao motorista, que supostamente teria pulado do ônibus. “As informações dão conta de que o motorista está desaparecido. Algumas pessoas apontam que poderia ter havido uma falha mecânica, mas precisaremos aguardar o laudo pericial”, assinala.

A empresa responsável pelo ônibus não foi localizada e a Polícia Civil de Alagoas está trabalhando para localizar os responsáveis.

Acolhimento às famílias:

Uma força-tarefa foi montada para atendimento das famílias pela PCMG. Na Academia de Polícia Civil (Acadepol-MG), localizada na Rua Oscar Negrão de Lima, 200, bairro Nova Gameleira, em Belo Horizonte.

As vítimas fatais:

Das 18 vítimas fatais do acidente, 13 faleceram no local, e cinco no hospital, sendo 17 adultos e um adolescente de 15 anos. Treze das vítimas eram homens, e cinco mulheres.

 

Com informações Polícia Civil MG

Comente! *Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Publicidade
Veja também
Publicidade
Publicidade
Publicidade
plataforma ead
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
error: Este conteúdo é protegido!