Publicidade

Prefeito Gleidson diz não ao reajuste do servidor , e servidores reagem na manifestação agora na porta da prefeitura

Postado em 10/06/2021 12:35

Prefeito Gleidson diz não ao reajuste do servidor , e cria confusão na manifestação na porta da prefeitura, servidor diz que o prefeito Gleidson prometeu reajuste na campanha e diz “Você é um moleque, se você fosse homem você honraria” , o prefeito reage “Moleque não” , assista ao video.

View this post on Instagram

Advertisement

A post shared by Portal MPA (@portalmpa)

 

CLIQUE E SIGA NO ZAP OU TELEGRAM AS NOTICIAS DO PORTAL SISTEMAMPA

Sintram

A administração Gleidson Azevedo vem se negando a pagar a revisão salarial do funcionalismo que  neste ano é de 5,2% conforme o IPCA da Fundação IPEAD ( Gatilho Salarial – Lei Municipal 8.083), sob o argumento que a Lei 173/2020 do Governo Bolsonaro veda a correção das perdas salariais neste ano. No entanto, os sindicatos defendem o pagamento da revisão salarial, que não caracteriza aumento, mas sim a manutenção do vencimento do servidor, que foi corroído pela inflação do ano anterior, direito esse  que é garantido pela Constituição Federal. Várias prefeituras da região inclusive já estão cumprindo com essa obrigação patronal, que vem sendo negada pelo Prefeito de Divinópolis, Gleidson Azevedo. A exemplo de Prefeituras, que já estão pagando a revisão salarial estão:  Araújos 6,22%; Carmo do Cajuru 5,45%; Carmo da Mata 5,03%; Bom Despacho, Córrego Danta, Cláudio, Lagoa da Prata, São Gonçalo do Pará e Luz  4,52%.

A proposta pede a retirada do gatilho do “agente público”.

Em Abril de 2020, um documento protocolado na Câmara Municipal pela vereadora Janete Aparecida, pede a Procuradoria da Câmara um parecer sobre a legalidade da elaboração de um Projeto de Lei de sua autoria. A proposta pede a retirada do gatilho do “agente público”. O gatilho foi aprovado no final da administração do ex-prefeito Demétrius Arantes, e foi cumprido pelo sucessor, o ex-prefeito Vladimir Azevedo, por 8 anos e agora Galileu Machado.

Com essa decisão, o gatilho aplicado desde 2008 para correção salarial dos servidores de Divinópolis precisa ser suspenso, mas a discussão tem sido adiada pelos agentes públicos.  Com o fim do benefício, que é basicamente a correção salarial de acordo com as perdas inflacionárias baseadas no Índice Nacional de Preço ao Consumidor (INPC), os servidores terão de discutir o reajuste salarial anualmente. Veja abaixo o documento protocolado na Câmara.

matéria completa abaixo 

Vereadora Janete quer agilizar votação que acaba com o “Gatilho Salarial” dos servidores em Divinópolis

Comente! *Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Publicidade
Veja também
Publicidade
Publicidade
Publicidade
plataforma ead
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
error: Este conteúdo é protegido!