fbpx
Pular para o conteúdo
  • Home
  • Divinópolis
  • Capina química e roubo de veículos são temas de reunião da ACASP

Capina química e roubo de veículos são temas de reunião da ACASP

Image

Em mais uma reunião da Associação para Assuntos de Segurança Pública de Divinópolis (ACASP), realizada nesta quarta-feira (28) na sede da ACID, a população teve a oportunidade de discutir demandas, conforme a realidade vivenciada em seu bairro. Entre os assuntos abordados, os transtornos advindos do mato alto em diversas áreas da cidade e o alto número de registros de roubo de veículos no bairro São José tiveram destaque.

Um cidadão relatou que como ciclista tem notado na ciclovia da rua Pitangui a situação crítica de invasão do mato que alerta para diversos riscos a quem frequenta o local. Pontuou que isso se repete em demais regiões da cidade e informou que há um produto, utilizado por diversas empresas e prefeituras para o controle do problema, sendo efetivo e menos custoso para os cofres públicos. Um representante da Secretaria de Meio Ambiente na reunião ressaltou que a questão deve ser discutida, uma vez que há tipos de capina química que não são recomendados e até mesmo proibidos em legislações municipal e federal. Comprometeu-se a analisar o produto junto a pasta para definição sobre o uso.

Um morador do bairro São José reconheceu o trabalho das forças de segurança na localidade, mas apontou a criminalidade envolvendo veículos estacionados na região. Relatou um caso recente de furto de uma moto e pediu providências nesse sentido. A Polícia Militar, representada na sessão pelo abordou os desafios desse tipo específico de crime, uma vez que as vítimas se dão conta do ocorrido muito tempo após ter acontecido, facilitando a fuga dos bandidos e ressaltou a importância das denúncias para o sucesso das investigações e recuperação dos veículos.

O alerta para golpes com vaquinhas virtuais utilizando histórias reais, após caso que repercutiu na mídia nacional, tendo uma vítima divinopolitana de um casal de estelionatários, foi mencionado a fim de se proteger desse tipo de crime sem prejudicar quem realmente precisa. E a explosão recente em um apartamento assustando vizinhos em São Paulo serviu como reflexão sobre os riscos de não se conhecer quem convive tão próximo.

O presidente da Associação, Breno Clementino, aproveitou a aproximação do período pré-eleitoral para pedir a colaboração do público presente sobre evitar pautas políticas, ainda mais nesse momento. Destacou que ali não é ambiente para isso, uma vez que a entidade não tem lado e busca a solução de problemas para a comunidade na totalidade.

Após balanço de ações pelo conselho técnico e mesa diretora, a reunião foi encerrada.