Rascunhos da Vida: O insistente Aurélio... - Portal MPA

Publicidade

Rascunhos da Vida: O insistente Aurélio…

Postado em 13/02/2022 6:00

Você já presenciou alguém muito insistente. Um filho que deseja algo, um vendedor tentando lhe convencer, um adicto partidário, ou mesmo um bêbado no seu caminho?

João 14.27

Retirado do site: https://www.pexels.com/pt-br/foto/fotografia-com-foco-seletivo-de-um-homem-em-pe-no-solo-marrom-de-frente-para-um-corpo-d-agua-569169/

Talvez você como eu fique irritado quando o seu filho fica insistindo demais para que você faça uma concessão na regra. Ou conceda alguma coisa a ele (os meus não são assim, apesar de já terem feito isso em algumas situações, mas fico numa raiva quando vejo outros agindo desta forma). Ou provavelmente você fica irritado com um vendedor que lhe aborda na loja e não larga do seu pé. E especialmente vive falando que aquela roupa ou sapato que não ficou boa está excelente em você, pois vai lacear, encolher, aumentar o preço, sair da promoção.

Provavelmente quem lhe irrita é o adicto do partido A, do B ou outro qualquer, que vive lhe tentando mostrar evidências de que o mundo inteiro está num complô contra seu partido. E que os outros partidos tem erros e mais erros, mesmo sabendo que você não se envolve em discussões políticas, justamente por saber que não levam a nada.

Ou aquele bêbado que te aborda na rua, numa festa, ou na casa de um amigo, lhe segura no braço e tenta lhe convencer que todo o universo vem do “sal”, e prova pra você dando uma lambida no próprio suor do braço. Também há o que diz, o “o Sal é a essência de tudo”. A insistência nos ocasiona raiva, pois queremos tomar nossas próprias decisões e traçar nossa linha de pensamento sem a intervenção do outro.

O meu dicionário Aurélio, na sua versão século XXI na forma digital insiste todas as vezes que eu o abro em me apresentar à palavra “paz”. Na página aberta há uma definição de paz, que é bem teórica, simplória por sinal, mas ao mesmo tempo relevante para quem não deseja se aprofundar no conceito da “paz”. Mesmo que eu conheça o significado da palavra.

Cristo conhecia as inquietações de nosso coração, os medos, angústias, as dores, o sofrimento, a indecisão, a falta de linha de pensamento. Então ele apresenta o Espírito Santo como sendo o ajudador, o conselheiro que nos dará entendimento da sua vontade, mas ele insiste em afirmar que nos concederá paz. Paz em meio à guerra, não significa ausência de guerra, mas tranquilidade para suportá-la. Paz numa decisão importante, não quer dizer que tirará o peso da decisão, mas compartilhará com você a força necessária para poder suportar as consequências da mesma.

A insistência de Cristo em lhe transmitir a paz se dá pelo fato de que realmente nós necessitamos de paz durante o nosso caminhar. Não uma paz perecível, mas uma paz concreta, real e verdadeira. Uma paz que excede todo o entendimento e que permite repousar mesmo em meio as maiores decisões e diante dos maiores conflitos existenciais da nossa vida. Pense nisso, e aceite a insistente paz que há em Cristo Jesus.

Um grande e forte abraço!
Nos eternos laços do amor de Cristo.

Rodrigo Fonseca Andrade
Um servo que aceita a insistente sugestão de paz que Cristo oferece.