Publicidade

Blog Amor Exigente

A crise e a montanha

Postado em 22/08/2020 8:00

O 8º Princípio do nosso programa trata da “crise”, sendo anunciado pela máxima “da crise bem administrada, surge a possibilidade de uma mudança positiva”. O princípio nos é representado por dois ideogramas da escrita chinesa, no qual o primeiro representa “perigo, lugar perigoso, momento de perigo” e o segundo representa “oportunidade”. Neste texto, gostaria de trazer aos companheiros e companheiras uma segunda proposta, na qual olhamos a crise como uma montanha.

Ao olharmos para a montanha, várias opções se apresentam, como, por exemplo, ultrapassá-la, desviar o caminho, permanecer na sua base, parar em um platô, dentre muitas outras possibilidades. Tomemos por hipótese a ideia de permanecer na sua base. Não saberemos se somos ou não capazes de ultrapassá-la, pois optamos por parar. É uma opção. É um não fazer. Se optamos por avançar no caminho e resolvemos parar em um dos seus platôs, muito provavelmente teremos uma nova visão, uma nova paisagem, mas saberemos que ainda havia muito a seguir e os lugares a serem alcançados seriam mais ou menos belos, mais amenos ou mais agressivos. Desviar também seria uma opção, com as mesmas dúvidas já mencionadas. Mas o que queremos propor aos nossos companheiros e companheiras, na verdade, é que a montanha deve ser ultrapassada, que é possível ultrapassá-la. Para isso, basta nos programarmos.

Pensar estrategicamente o caminho a percorrer, a bagagem que levaremos, roupas, alimentos, água; quantos dias pretendemos caminhar e onde queremos chegar. A montanha é a crise e o Amor-Exigente – com todos os seus princípios efetivamente estudados e vivenciados – é a estratégia. Nessa linha, se representarmos essa montanha como um aglomerado de várias pedras, perceberemos que é possível remover uma a uma. Na transformação do nosso comportamento devemos ultrapassar a montanha, retirando cada pedra do caminho. As pedras devem ser removidas de forma estratégica, pois do contrário poderemos provocar um grande deslizamento.

Assim é que as pedras estão nas pequenas coisas: a toalha molhada na cama, a louça suja na pia, o gasto desnecessário no supermercado etc. A cada pedra removida, vamos nos fortalecendo até que chegamos a remover pedras cada vez maiores, como o horário de chegada em casa de nosso ente querido, o tempo de uso do computador ou da televisão ou até mesmo situações que sequer temos coragem de relatar, como a possível guarda ou uso de substâncias no interior de nossa casa. Como ouvi de um orador que muito admiro (Tadashi Kadomoto): “Ninguém tropeça em montanha, retire as pedras do seu caminho”. Assim, defina o que você quer, fixe prioridades, formule seu plano de ação, estipulando como e quando fazer e vá para ação, executando seu plano. Tenha certeza que dará certo.

Texto de Carlos Cabral Cabrera, Promotor de Justiça de Praia Grande/SP e Voluntário de Amor-Exigente

Publicidade
Veja também
Publicidade

Noticias relevantes:

<
Comentários *Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. comentarios

E um canal destino a levar a mensagem de incentivo e reflexão proposta pelo grupo Amor Exigente.

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
error: Este conteúdo é protegido!