Publicidade

Sem leitos e oxigênio, cidades de MG enfrentam explosão de casos de Covid-19

Postado em 16/02/2021 21:11

Profissionais de saúde da Polícia Militar foram encaminhados para a região(foto: PMMG/Divulgação)

A alta de casos de coronavírus e a falta de leitos no Alto Paranaíba e Triângulo Mineiro assusta cidades e mobiliza autoridades. Em Coromandel, a prefeitura precisou implantar barreiras sanitárias e toque de recolher para conter o avanço da doença. Enquanto isso, Uberlândia registrou a maior quantidade de mortes por COVID-19 em apenas um dia.

Uberlândia

Uberlândia, no Triângulo Mineiro, registrou recorde de mortes por COVID-19 em apenas um dia. Nesta segunda-feira (15/2), o boletim epidemiológico local mostrou 14 óbitos confirmados pela doença e mesmo diante desse cenário, a ocupação de leitos de UTI no município e em toda a região do Triângulo Mineiro é alta, sempre beirando 100%.

Advertisement
A situação é tão grave que fez o Governo do Estado enviar uma força-tarefa a essas cidades nesta terça-feira (16/02), com profissionais da Secretaria de Estado de Saúde, Hospital Eduardo de Menezes, Polícia Militar e Corpo de Bombeiros.
 
Também sem leitos de COVID-19, Patrocínio fechou o comércio e vetou a venda de bebidas alcoólicas. Em Uberaba, nova variante do vírus foi detectada.
 
 

Andradas adota toque de recolher após aumento de casos graves

A Prefeitura de Andradas, no Sul de Minas, decidiu adotar o toque de recolher na cidade das 22h às 5h. A medida começa a valer nesta segunda-feira (15/1) e é por tempo indeterminado. A administração municipal quer conter o avanço da COVID-19 após aumento de casos graves hospitalizados.

A prefeitura está preocupada com o aumento de casos graves na cidade. “Na última sexta-feira (12/2), 44 novos casos suspeitos ou confirmados entraram no boletim. No total, são 491 em monitoramento (38 casos positivos e 453 aguardando coleta e/ou resultado de exames). Saíram do isolamento 49 casos, sendo nove positivos recuperados e 40 liberados por resultado negativo”, informou a assessoria de imprensa.

Governo de MG vai suspender cirurgias eletivas em todo o estado

 
A Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) vai determinar, nos próximos dias, a suspensão de cirurgias eletivas não essenciais em todo o estado. A decisão, porém, não se aplica aos pacientes cardíacos ou oncológicos de maior gravidade. A medida, válida por 15 dias, é uma ação preventiva para evitar o esgotamento da rede pública de assistência.   Na última semana, Minas registrou aumento de 3,2% no número de casos e 4,1% nas mortes pela COVID-19.
 

Esgotamento de leitos

Sem mais vagas nos leitos de UTI e enfermaria para casos de COVID-19, a Prefeitura de Patrocínio, no Triângulo Mineiro, também decretou novas normas restritivas ao comércio na cidade pelo período de 10 dias para tentar conter o avanço do coronavírus na região.
 

Falta oxigênio

O prefeito de Monte Carmelo, Paulo Rocha (PSD) fez no domingo um pronunciamento nas redes sociais em que aborda a falta de cilindros vazios de oxigênio para atender pacientes com o novo coronavírus. Em entrevista ao Estado de Minas, ele afirmou que pessoas que foram a cidades próximas podem ter carregado a COVID-19 e pressionado o sistema de saúde.
 

Divinópolis recebeu 11 pacientes de Coromandel e Monte Carmelo para tratamento contra a Covid-19

Sem cilindros de oxigênio: Monte Carmelo pede socorro e transfere pacientes

Comente! *Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Publicidade
Veja também
Publicidade
Publicidade
Publicidade
plataforma ead
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
error: Este conteúdo é protegido!