Publicidade

Cozinheiro preso confessou ter assassinado funcionária do MEC

Postado em 31/08/2019 11:46

Advogada Letícia Sousa Curado Melo, 26 anos (foto: Reprodução/Instagram)

 
A advogada Letícia Sousa Curado Melo, 26 anos, está morta. O corpo dela foi encontrado na tarde desta segunda (26/8). Ela estava desaparecida desde a manhã de sexta-feira (23/8), quando saiu para trabalhar, por volta das 7h30, do Arapoanga, onde vivia com o filho de 3 anos e o marido. A notícia foi confirmada ao Correio pelo marido dela. 
 
Preso como principal suspeito do sumiço da funcionária do Ministério da Educação (MEC), o cozinheiro Marinesio dos Santos Olinto, de 41 anos, confessou ter estrangulado a vítima, Letícia Sousa Curado, de 26, até a morte. Na companhia da advogada, ele levou os policiais até o corpo, que estava em uma manilha às margens da estrada, no sentido Vale do Amanhecer. 
 
Marinesio contou aos policiais que conhecia Letícia por pegar o mesmo ônibus que ela, no sentido Plano Piloto. Na manhã sexta-feira (23/8), após deixar a filha dele na escola, ele a viu na parada de ônibus do Araponga e parou. 

“Ele disse que estava indo sentido Paranoá e ela pediu uma carona até a Rodoviária da cidade para, de lá, pegar um ônibus e seguir para o Plano”, contou um dos investigadores da 31ª Delegacia de Polícia (Planaltina). 

 
No caminho, Marinesio teria começado a assediar a vítima, que recusou a investida. Foi quando ele a teria estrangulado. “Ele disse que jogou a bolsa dela fora e pegou alguns pertences. Depois, desovou o corpo em uma manilha e ficou com alguns objetos da vítima”, contou o policial. 

“Ele resolveu confirmar, pois os advogados apresentaram os benefícios de colaborar com a investigação”, contou o investigador.

Comente! *Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Publicidade
Veja também
Publicidade

Noticias relevantes:

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
error: Este conteúdo é protegido!