Produtos da ceia natalina em Divinópolis tem variação de até 133% - Portal MPA

Publicidade

Produtos da ceia natalina em Divinópolis tem variação de até 133%

Postado em 15/12/2021 14:54

CEIA DE NATAL

Uma pesquisa realizada pelo Núcleo de Estudos e Pesquisas Econômico-sociais/ NEPES da Faculdade Una Divinópolis trouxe um levantamento da média de preços de alguns dos itens tradicionais que compõe a ceia de Natal, sendo eles: a ave chester, o peru, o pernil com osso, o panetone, a caixa de bombons, o suco de frutas, o vinho tinto e a uva.

De acordo com o professor universitário e coordenador do NEPES/Una, professor Wagner Almeida, no levantamento realizado em Divinópolis a Ave Chester apresentou preço médio por quilo de R$ 26,34. Sendo o maior preço encontrado de R$ 27,98, e o menor, R$ 24,48 o quilo. Uma variação de 14,3% entre os estabelecimentos pesquisados. Para este item foram pesquisadas duas marcas tradicionais que comercializam a ave.

Em relação ao preço do peru, outra ave bastante comum na ceia de natal das famílias, a pesquisa considerou duas das marcas mais tradicionais comercializadas. O menor preço encontrado para o quilo de peru foi de R$ 25,71 e, o maior, R$ 30,48. Uma variação de 18,6% entre os estabelecimentos pesquisados. O preço médio praticado em Divinópolis para o quilo de Peru foi de R$ 27,32. Ainda segundo o professor, no fim do ano, devido a sazonalidade, o preço dessas aves tende a ficar mais caro. “Em 2021 considera-se, ainda, como agravante para a alta, o aumento dos custos de produção, principalmente em função da alta no preço da ração a base de milho, e o aumento das exportações de aves”, explica Wagner.

Para o levantamento do preço do pernil com osso, foram pesquisados 16 açougues/casa de carnes da cidade. A pesquisa foi realizada por telefone e os estabelecimentos distribuídos nos bairros Centro, Catalão, Danilo Passos, Niterói, São Jose e Porto Velho. De acordo com o levantamento o pernil com osso é comercializado em Divinópolis a um preço médio de R$ 19,51 o quilo. Sendo o maior preço encontrado de R$ 21,00 e o menor, R$ 17,99. Uma variação de 16,7% entre os açougues/casa de carnes pesquisados.

 

Frutas e doces natalinos
Ainda segundo o levantamento realizado pelo Núcleo de Estudos e Pesquisas Econômico Sociais (NEPES), da Faculdade Una Divinópolis, para a análise do preço médio do panetone, foram pesquisadas 03 marcas tradicionais no comércio, sendo uma de preço inferior, uma intermediária e uma marca considerada superior. “O panetone de marca popular I, considerada de preço inferior, a média foi de R$ 10,20 a caixa com 400 gramas. Com uma variação de 14,9% entre o maior e o menor preço encontrado. O panetone de marca popular II, considerada intermediária, a média para a caixa com 400 gramas foi de R$ 18,49, com uma variação de 5,6% entre o mais caro e o mais barato. E, o panetone de marca popular III, considerada superior, um preço médio de R$ 21,57 a caixa com 500 gramas. Com uma variação de 4,7% entre os estabelecimentos pesquisados. No geral, o panetone em Divinópolis é comercializado a um preço médio de R$ 18,36”, destaca o professor e coordenador do NEPES/ Una, Wagner Almeida.

Para a caixa de bombons sortidos foram pesquisadas as 03 marcas mais conhecidas no mercado com embalagens de 250 gramas. A variação no preço entre os estabelecimentos pesquisados foi de 22,2%, sendo o maior valor encontrado de R$ 10,99, e o menor, de R$ 8,99. Para a caixa de bombom o preço médio praticado é de R$ 9,99 a caixa.

O preço médio encontrado para a uva foi de R$ 6,37 a embalagem com 500 gramas. O maior preço encontrado foi de R$ 8,49 e, o menor, R$ 4,99; uma variação de 70,1% entre os estabelecimentos pesquisados.

 

Bebidas
Para o suco de frutas foram consideradas 03 opções, sendo a marca I, de preço inferior, a marca II intermediária, e a marca III, considerada superior. Considerando a categoria sucos, a média geral de preço encontrado foi de R$ 5,25 o litro. A marca I, considerada de preço inferior, apresentou uma variação de 17,7% entre os estabelecimentos pesquisados, com um preço médio de R$ 3,69. A marca intermediária II, apresentou preço médio de R$ 5,28 o litro, com uma variação de 43% entre o maior e o menor preço. Já a marca popular III apresentou uma variação de 20,7% entre os estabelecimentos pesquisados e um preço médio de R$ 6,26/litro.

Para o levantamento do preço médio do vinho, foram consideradas 03 marcas tradicionais comercializadas no varejo. O vinho pesquisado foi o vinho tinto de mesa do tipo suave, garrafa com 750 ml. De acordo com os dados levantados, o vinho de marca popular I, considerada de preço inferior apresentou preço médio de R$ 14,45, com uma variação de 6,5% entre os estabelecimentos pesquisados. O vinho de marca popular II, intermediário, preço médio de R$ 18,31, com uma variação de 4,2% entre o maior e o menor preço. Já o vinho de marca popular III, considerada de preço superior apresentou preço médio de R$ 30,47, com uma variação de 12,8% entre os estabelecimentos pesquisados. “Na média geral, de acordo com o levantamento realizado em Divinópolis, o vinho tinto de mesa apresenta preço médio de R$ 22,41 a garrafa. Para o levantamento do preço médio da uva foram consideradas as uvas do tipo Rubi e do tipo Itália”, explica Wagner Almeida.

Variação
A pesquisa para o levantamento dos dados ocorreu entre os dias 06 e 08 de dezembro de 2021 em 05 diferentes supermercados com representatividade no município de Divinópolis e em 16 açougues/casa de carnes para levantamento do preço do pernil com osso.
De acordo com o professor universitário e coordenador do NEPES/Una, professor Wagner Almeida, este levantamento não teve a intenção de apresentar a evolução dos preços dos produtos que compõe a ceia de natal em função da ausência de dados referentes ao mesmo período do ano anterior para comparação. Sendo assim, limita-se somente a apresentar a média de preços praticados pelos estabelecimentos em Divinópolis no período. “Observa-se que os itens que apresentam a maior variação nos preços (panetone, suco de frutas e vinho tinto) foram os itens para os quais a pesquisa considerou mais de uma marca com diferenças significativas de preços”, finaliza o professor.