Publicidade

ABERT e Sindicato dos Jornalistas de Minas repudiam invasão de vereador à TV Candidés

Postado em 31/03/2021 21:26

Crédito: Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Minas Gerais (SJPMG)

 

A Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (ABERT), o Sindicato dos Jornalistas de Minas e a Oposicão Sindical também repudiaram a atitude o vereador Diego Espino (PSL) que tentou invadir, nesta terça-feira, 30, os estúdios da TV Candindés, para ameaçar, coagir e xingar o apresentador do programa Cidade Urgente, o jornalista Eduardo Silva.

O Sistema MPA já fez uma representação contra o político na Justiça.

Advertisement

A ABERT disse que “todo e qualquer cidadão que se sinta ofendido por determinada publicação tem
o direito de buscar a justiça, mas jamais recorrer à intimidação e à violência”.

O Sindicato destacou que esse é o terceiro caso de violência contra jornalista registrado somente em março, em Minas Gerais e afirmou que “infelizmente, esses registros estão se tornando comuns não só no estado, mas em todo o Brasil, aonde a violência contra jornalistas grassa, sem que haja por parte das autoridades nenhuma medida efetiva para combater esse ataque que, também é , um atentado à liberdade de expressão e ao direito à informação”. 

Já a Oposição Sindical ressaltou que “para enfrentar esse grave problema precisamos de um movimento de trabalhadores forte, com representação efetiva em todo o Estado”. 

A Associação Mineira de Rádio e Televisão (Amirt) também se posicionou.

 

Veja a íntegra das notas:

ABERT

A Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (ABERT) repudia a tentativa de invasão aos estúdios da TV Candides, de Divinópolis (MG), por parte do vereador Diego Espino (PSL), nesta terça-feira (30).

Contrariado com a veiculação de vídeos sobre a situação dos hospitais em Carmo da Mata, postados em suas redes sociais, o vereador entrou na recepção da emissora e, aos gritos, tentou acessar o estúdio do programa Cidade Urgente, exigindo que seu nome não fosse mais citado pela emissora.

Todo e qualquer cidadão que se sinta ofendido por determinada publicação tem o direito de buscar a justiça, mas jamais recorrer à intimidação e à violência.

Flávio Lara Resende
Presidente

 

Sindicato dos Jornalistas de Minas

Depois de invadir a Santa Casa de Carmo da Mata, na região oeste de Minas, para mostrar uma suposta desocupação de leitos na pandemia, em um hospital que não atende casos de covid-19, o vereador Diego Spino (PSL) tentou invadir ontem os estúdios da TV Canindés, para ameaçar, coagir e xingar o apresentador do programa Cidade Urgente, o jornalista Eduardo Silva.

A agressão aconteceu enquanto o jornalista relatava, ao vivo, o ocorrido no hospital de Carmo da Mata. Aos gritos e usando termos ofensivos, na portaria da emissora, o vereador ameaçou o jornalista e disse que ele estava proibido de pronunciar seu nome e do deputado estadual Cleitinho Azevedo (Cidadania), que estava com Spino na invasão da Santa Casa de Carmo da Mata.

Esse é o terceiro caso de violência contra jornalista registrado somente em março, em Minas Gerais. Infelizmente, esses registros estão se tornando comuns não só no estado, mas em todo o Brasil, aonde a violência contra jornalistas grassa, sem que haja por parte das autoridades nenhuma medida efetiva para combater esse ataque que, também é , um atentado à liberdade de expressão e ao direito à informação. Pelo contrário, o que há, muitas vezes, é um estímulo por parte de alguns parlamentares e chefes de executivo, caso do presidente Jair Bolsonaro, contra a imprensa.

Relatório Anual da Federação Nacional dos Jornalistas (FENAJ) Sobre Violência Contra Jornalista apontou um aumento de 105% dos casos em 2020, em relação ao ano anterior. Hoje, os Estados Unidos divulgou um documento aonde aponta violação dos direitos humanos e da liberdade de expressão no Brasil e diz que jornalistas têm sido sistematicamente agredidos fisicamente, assediados e mortos no país.

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Minas Gerais (SJPMG) e a FENAJ se solidarizam com o jornalista e com todos profissionais da emissora, repudiam mais essa agressão e cobram medidas efetivas para proteger o trabalhador da notícia. Não é possível que esses casos continuem acontecendo sem que algo de concreto seja feito para barrar esses ataques aos jornalistas e à liberdade de expressão.

 

Oposição Sindical dos Jornalistas de Minas

A Oposição Sindical dos Jornalistas de Minas repudia a invasão da TV Candidés, em Divinópolis, no dia 30 de março, pelo vereador Diego Espino (PSL), cujo objetivo era tentar intimidar o apresentador do programa Cidade Urgente, Eduardo Silva.

Ameaças aos trabalhadores da notícia (expressão criada pela Oposição Sindical em 2009. Veja editorial) têm se tornado cada dia mais comuns. Para enfrentar esse grave problema precisamos de um movimento de trabalhadores forte, com representação efetiva em todo o Estado.

Tentativas de intimidação de jornalistas, que atingem toda a categoria, não serão barradas no plano institucional. É preciso, mais do que nunca, demonstrar a força política daqueles que estão dispostos a promover a luta direta pela valorização e defesa da classe trabalhadora.

Comente! *Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Publicidade
Veja também
Publicidade
Publicidade
Publicidade
plataforma ead
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
error: Este conteúdo é protegido!