Carmo do Cajuru: “Constatamos, hoje, que a VL! não atende devidamente a nossa microrregião, porque apenas ‘passa por aqui’, o que leva o município de Carmo do Cajuru a fazer reivindicações” - Portal MPA

Publicidade

Carmo do Cajuru: “Constatamos, hoje, que a VL! não atende devidamente a nossa microrregião, porque apenas ‘passa por aqui’, o que leva o município de Carmo do Cajuru a fazer reivindicações”

Postado em 09/12/2021 12:10

EDSON PREFEITO CARMO DO CAJURU

Carmo do Cajuru apresenta Manifesto em Audiência Pública

“Constatamos, hoje, que a VL! não atende devidamente a nossa microrregião do ponto de vista econômico, porque apenas ‘passa por aqui’, como se diz, mas não transporta as cargas gerais e graneis por aqui produzidos o que leva o município de Carmo do Cajuru a fazer reivindicações”

 O cumprimento das metas e compromissos do contrato de concessão ferroviária pela VL! Multimodal, em face de renovação contratual antecipada moveu o deputado federal Domingos Sávio, presidente da Comissão de Viação e Transportes da Câmara Federal, a propor uma segunda Audiência Pública para avaliação dos aspectos que envolve a presença da ferrovia em Carmo do Cajuru e Divinópolis.

O prefeito Edson Vilela divulgou esta semana um Manifesto sobre as metas e ações da VL! Na região, propondo algumas medidas e protestando contra aspectos ainda não cumpridos pelo contrato em vigor.

Melhorias da Ferrovia que “passa opor aqui”

“Constatamos, hoje, que a VL! não atende devidamente a nossa microrregião do ponto de vista econômico, porque apenas ‘passa por aqui’, como se diz, mas não transporta as cargas gerais e graneis por aqui produzidos o que leva o município de Carmo do Cajuru a reivindicar”: Utilização do Terminal Intermodal da Ferradura ou similar para instalar centrais de armazenamento de grãos; Integração dos modais ferroviário, rodoviário e marítimo, após “mapeamento e possível utilização de terminais, a distâncias médias de 300 quilômetros, nos corredores Centro-Leste e Minas-Rio”; reativar o Corredor Minas-Rio, conhecido como Linha do Catalão-Sul de Minas (uma linha férrea em bom estado, que pode ser interligada com o Centro-Oeste, Alto São Francisco, Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba).

O Manifesto chama a atenção também para que a renovação antecipada da concessão, inclua também os impactos a serem eliminados ou mitigados, não menos importantes do que os econômicos, que se colocam em perspectiva.

“O pragmatismo mostra que a travessia caracterizada pela construção de viadutos e trincheiras, amortecedores nos trilhos e dispersores de sons, muito mais baratos e viáveis, são meios de isolamento dos efeitos colaterais da atividade ferroviária, nas cidades de Carmo do Cajuru e Divinópolis. Estas soluções são adotadas com sucesso em Maringá, Juiz de Fora, Governador Valadares e em Belo Horizonte/ Sabará, por onde passam, no Centro da capital, a linha do metrô e duas grandes ferrovias”, destaca o documento.

Reivindicações de Carmo do Cajuru

No documento de quatro páginas, as autoridades municipais – o presidente da Câmara, vereador Sebastião Faria Gomes, também assina o Manifesto – reivindicam:

1) Ligação por via perimetral da Siderúrgica Gerdau ao Terminal Intermodal da Ferradura, tendo em vista a iminente liberação da Estrada da Ferradura, o que provocará inevitável congestionamento da rodovia AMG 345, que liga Divinópolis Carmo do Cajuru.

2) Retirada da Linha de Espera, em Carmo do Cajuru, desativada há anos, que provoca congestionamento em uma das principais vias urbanas, a rua Aquiles Guimarães.

3) Liberação total ou parcial, para restauração e uso cultural, da Estação Ferroviária de Carmo do Cajuru, com a devida retirada da torre de telecomunicações desativada, que fere a estética da centenária estação.

4) Estudo de viabilidade técnica e econômica para amplificação do Pátio da Estação de Amoras, o que permitirá a exploração econômica da maior pedreira da região.

O documento será formalmente apresentado na Audiência Pública que se realiza, nesta sexta 10, no auditório da Câmara Municipal de Divinópolis.  (FF)

MANIFESTO DE CARMO DE CAJURU – AP – CMD – 10-12-2021