Lula será transferido para penitenciária de Tremembé, no interior de São Paulo

Postado em 07/08/2019 12:58

lula-pf-curitiba

O juiz corregedor Paulo Eduardo de Almeida Sorci, do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), determinou a transferência do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para a Penitenciária II de Tremembé “José Augusto César Salgado”, localizada no interior de São Paulo, onde deve cumprir o restante da pena de 8 anos e 10 meses por condenação na Lava-Jato , no caso do tríplex em Guarujá , no litoral de São Paulo. A data da transferência não foi definida.

O juiz atendeu a pedido formulado pela juíza da 12ª Vara Federal de Curitiba, Carolina Lebbos, que determinou nesta quarta a remoção do ex-presidente da carceragem da Polícia Federal (PF) em Curitiba para uma unidade prisional de São Paulo, atendendo a um pedido da PF.

Defesa entrará com recurso para impedir transferência

O advogado do ex-presidente Lula, Cristiano Zanin Martins, afirmou que entrará com um recurso para impedir que a transferência de Lula para São Paulo.  

— Essa decisão por si contém uma ilegalidade, o afastamento da sala de Estado Maior para abrigar o ex-presidente. Como a transferência o coloca em situação de vulnerabilidade, entreremos com um recurso para impugná-la, mas estamos definindo qual será o caminho. 

O pedido de transferência de Lula foi feito pela PF e a defesa do ex-presidente sempre se manifestou contra a mudança. 

A transferência de Lula para São Paulo, realizada a pedido de Polícia Federal e autorizada pela juíza de Curitiba Carolina Lebbos, é vista pelo ex-presidente como uma retaliação da PF. Desde que o delegado Luciano Flores assumiu o comando do órgão no Paraná, em fevereiro deste ano, a relação entre a PF, o petista e seus advogados começou a passar por desgastes.

 

 

Os presos mais ‘famosos’ de Tremembé

A vida de Roger Abdelmassih,Alexandre Nardoni, Cristian e Daniel Cravinhos, Lindemberg Alves Fernandes e João Rodrigues no presídio

 

Construída em 1948, Tremembé recebe desde 2002 os chamados presos especiais. A maioria dos 296 detentos que cumprem pena em regime fechado possui ensino médio ou nível superior. São presos que costumam sofrer rejeição junto à população carcerária comum por terem cometido crimes como pedofilia e estupro. Também abriga pessoas que correriam risco de vida em outra penitenciária, como ex-policiais e ex-agentes penitenciários. E ainda presos envolvidos em casos de grande repercussão.

Veja também
Comentários *Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. comentarios
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
error: Este conteúdo é protegido!