Combustível em Divinópolis apresenta nova alta em novembro, aponta levantamento da Una - Portal MPA

Publicidade

Combustível em Divinópolis apresenta nova alta em novembro, aponta levantamento da Una

Postado em 06/12/2021 17:22
Publicidade

Com mais um aumento, o combustível volta a pesar no orçamento das famílias mineiras. Acompanhando a inflação e outros índices econômicos, a gasolina, o etanol e o diesel tiveram novos reajustes o que representa um custo a mais na conta do trabalhador. Segundo um levantamento realizado pelo Centro Universitário Una, que integra a Ânima Educação, em diversas regiões do estado, o preço dos combustíveis registrou nova elevação e variação entre estabelecimentos.

De acordo com professor e coordenador de Núcleo de Estudos e Pesquisas Econômico Sociais, o NEPES, da Faculdade Una Divinópolis, Wagner Almeida, foi divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, o IBGE, que a prévia da inflação, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15) e, pressionado pela alta dos combustíveis, o índice apresentou alta de 1,17% em novembro. Em outubro, o índice ficou em 1,20%. Com este resultado, o índice acumula alta de 10,73% em 12 meses. “Na prévia de novembro todos os grupos de produtos e serviços apresentaram alta e o principal impacto no índice veio dos transportes. A gasolina ficou 6,62% mais cara no mês. No ano, a alta acumulada é de aproximadamente 45%. O etanol e o diesel também apresentaram altas significativas em novembro, 7,08% e 8,23%, respectivamente”, explica o professor.

Na capital mineira, a gasolina obteve preço médio de R$7.123, variando entre R$6.776 e R$7.405. O etanol apresentou média de R$5.728, com preço menor em R$5.455 e preço maior de R$5.999. O diesel registrou média de R$5.522, com menor valor para R$5.095 e maior valor em R$6.04.

Na região Centro-Oeste, os postos de combustíveis em Bom Despacho comercializaram a gasolina com valor médio de R$7.095, com preço menor de R$6.989 e preço maior de R$7.202. O etanol variou de R$5.549 a R$5.890, com média de R$5.735. Já o diesel teve média de R$5.510, custando entre R$5.490 e R$5.530.

Também na região Centro-Oeste, em Divinópolis, segundo o NEPES/Una, o preço médio do litro da gasolina comum em Divinópolis foi de R$ 7,053, com o preço encontrado foi de R$ 6,849, e o maior R$ 7,397, uma variação de 8,0% entre os estabelecimentos pesquisados. Já o etanol, o menor preço levantado foi de R$ 5,399, e o maior, R$ 5,997 com média de R$ 5,641. Em relação ao custo médio do litro de diesel foi de R$ 5,506, com variação de 7,69% entre estabelecimentos, sendo R$ 5,199 o menor preço e, R$ 5,599 o maior.

Em Itabira, na região Metropolitana, os postos comercializaram a gasolina com valor médio de R$7.187, com o preço menor de R$7.140 e o preço maior de R$7.200. O etanol aprestou variação de R$5.687, tento menor valor em R$5.640 e maior em R$5.699. Já o diesel registrou a média de R$5.679, com preço menor de R$5.649 e o preço maior de R$5.699.

Já em Pouso Alegre, no Sul de Minas, a gasolina chegou a custar entre R$6.892 e R$7.425, com uma média de R$7.082. O etanol, variou de R$5.199 a R$5.673, com média de R$5.385. Com média de R$5.469, o diesel teve R$5.339 como menor preço e R$5.791 como maior valor.
Em Uberlândia, no Triângulo Mineiro o preço médio da gasolina chegou a R$ 6.942, com menor preço de R$ 6.799 e maior preço por R$ 7.100. Já o etanol variou de R$ 5.208 a R$ 5.599, com média de R$ 5.387. O diesel teve preço médio de R$ 5.459, com menor preço a R$ 5.259 e maior preço a R$ 5.599.

 

Custo do etanol
De acordo com Vaníria Ferrari, professora de economia da Una, são vários os fatores determinantes para o aumento do preço do Etanol, mas a lei da oferta e da procura é o fator mais forte neste momento.“Estamos passando, no caso do etanol, por uma inflação de demanda. Isso acontece porque o etanol é o substituto da gasolina. Na economia, existe uma tendência de, quando um produto tem seu valor elevado, as pessoas migram para o substituto, então, houve uma migração para o etanol, acarretando aumento do preço”, explica.

Vaníria acredita que a solução para derrubar o preço do etanol é principalmente redução dos custos tanto do etanol quanto da gasolina. A questão tributária e a desvalorização cambial seriam importantes aliados nesse sentido. Um aumento da oferta de etanol e uma redução no preço da gasolina também poderia equilibrar os preços.

Publicidade