Publicidade

Técnico do Cruzeiro vê time em evolução: “Um degrau por vez”.

Postado em 15/03/2021 13:05

Consistência e crescimento. Foram duas palavras-chave na entrevista coletiva do treinador Felipe Conceição após a vitória do Cruzeiro no Mineirão, neste domingo, pela quarta rodada do Mineiro.

A primeira, consistência, foi usada pelo comandante para avaliar a vitória sobre o time de São João del-Rei e as últimas atuações do Cruzeiro no Campeonato Mineiro. A segunda, crescimento (e suas variações), foi usada para comentar o processo que, segundo ele, o time atravessa.

Advertisement

“Nossa aplicação já tem demonstrado, tirando o jogo da Copa do Brasil, que foi num contexto muito atípico, que a gente tem crescido com as atuações, tem sido mais consistente no Campeonato Mineiro. É a segunda vitória seguida (no Estadual), e isso me deixa feliz. Foi um jogo consistente, seguro. Construindo a vitória com segurança” – Felipe Conceição.

Consistência foi um termo usado seis vezes na entrevista de 10 minutos. Em uma delas, avaliando especificamente a vitória sobre o Athletic, Conceição voltou a destacar a vitória segura, mas apontou um problema observado: a falta de agressividade no setor ofensivo.

“Apesar do cansaço, da viagem, de um jogo no meio de semana (em Roraima), conseguimos ser consistentes. (…) Defensivamente, fomos muito bem. Ofensivamente, nos faltou a agressividade do último terço, que tivemos em outros jogos. Talvez, pelo cansaço, a gente não conseguiu ter. Mas construímos jogadas de um lado, de outro, tem variação, mesmo sendo início de trabalho. Me deixa feliz essa consistência”.

Crescimento foi uma expressão usada ainda mais: nove vezes. Entre elas, para explicar que o encaixe da marcação no meio-campo também está em evolução.

“(O time) vem de um crescimento, apesar de a gente não treinar. Com vídeo, com posicionamento, trabalho em campo mais posicional, a gente tem corrigido. (Contra o Athletic), iniciamos a partida um pouquinho espaçados, e foi melhorando no decorrer da partida. Terminamos bem”.

Se Felipe Conceição não teve tempo para treinar antes do jogo contra a equipe de Loco Abreu, terá um período importante até o próximo compromisso. O Cruzeiro volta a campo apenas no domingo, às 16h (de Brasília), contra o América, naquele que pode ser considerado o primeiro grande desafio da temporada. A meta até lá, claro, seguindo a tônica da coletiva do comandante cruzeirense, é crescer.

“Realmente, é o primeiro grande desafio nosso na temporada. Um time que conquistou o acesso à Série A, um time que tem um trabalho de longo prazo. Mas a gente está se preparando pra isso. Esses cinco jogos em 14 dias, mais a pré-temporada, apesar de curta, estão nos dando crescimento, estão dando ensinamentos. A gente vem corrigindo, passo a passo. Temos uma semana de trabalho para nos preparar bem pra essa grande partida”.

“A gente está num início de processo. O discurso de que (a comissão) conta com todo mundo já foi mostrado, apesar do início, que não é mentira, não é da boca pra fora. Nesse período de cinco jogos em 14 dias, período desgastante, depois de uma curta pré-temporada, a gente usou 23 atletas até aqui. Então, todos serão importantes pra nossa caminhada. A gente está conhecendo o grupo, está criando uma coesão entre eles, está dando oportunidade pra todo mundo. E a gente opta pelo momento, pela parte técnica, pela parte física, pela situação do jogo também. A gente tem feito os movimentos, os atletas têm procurado fazer o melhor, lembrando que é início de temporada, então tem a dificuldade ainda, muito na questão física também, além de uma filosofia nova de jogo”.

“A questão não só do Sobis, mas dos outros atletas, de variar posição, rodar, criar situações diferentes, é com o tempo. (…) Vamos criar variações e alternativas de funções, de posições. (A comissão) vai conhecendo mais os atletas e encaixando melhor a equipe do Cruzeiro”.

“Jogou o Matheus Pereira, jogou o (Eduardo) Brock, apenas a segunda partida. Enfim, o Ramón foi pro outro lado. Tudo isso mexe com a primeira linha, mas ela se comportou muito bem, nos deu segurança e consistência pra que a gente ganhasse o jogo”.

“Não achei lento. Achei dentro do (normal considerando o) desgaste dos cinco jogos em 14 dias. Fizemos um bom jogo, sustentamos bem até na parte física. Talvez um pouco da agressividade no último terço tenha faltado por esse cansaço. Mas a equipe demonstrou novamente um padrão, assim como tinha demonstrado contra a URT, um pouco menos contra a Caldense. Ou seja, a gente vem crescendo. Ter essas duas vitórias seguidas no Mineiro, com dois jogos consistentes, sofrendo pouco com ações do adversário, já mostra que estamos em um processo de crescimento. Agora, com uma semana de trabalho, vamos continuar crescendo”.

“Acho que a gente cria também no primeiro tempo, mas o adversário também joga um primeiro tempo mais fresco, com intensidade maior, com um poder de marcação maior. Talvez seja isso. A mim não me importa se faz no primeiro ou no segundo. Temos 90 minutos pra ganhar. Mesmo saindo no segundo tempo, fico satisfeito. Tivemos gol no segundo jogo seguido de atacante. Também era uma coisa que perguntavam. A gente fica feliz que a gente está crescendo. Daqui a pouco o gol vai sair no primeiro tempo também, vai nos dar uma tranquilidade maior também dentro da partida. Não tomamos (gol), não tivemos que correr atrás do placar, como tivemos em algumas situações. Estamos num processo de crescimento. Num espaço curto de tempo, podemos perceber (evolução) nos detalhes. Não em coisa grande, porque isso vai demorar um pouco, mas nas coisas pequenas a gente já percebe um Cruzeiro mais forte do que quando a gente começou”.

 

Comente! *Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Publicidade
Veja também
Publicidade
Publicidade
Publicidade
plataforma ead
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
error: Este conteúdo é protegido!