Publicidade

Seleção Brasileira lança nova camisa baseada da de 1970.

Postado em 08/11/2020 13:17

Em 1958, o mundo conheceu a força do futebol brasileiro com o título da Copa na Suécia. Quatro anos mais tarde, em 1962, o bicampeonato no Chile. Em 1970, a apoteose no México. Brasil tricampeão. E os três títulos citados acima, além de Pelé, tinham mais uma pessoa em comum: Mario Jorge Lobo Zagallo.

Foi justamente naquela mágica conquista de 1970 que a fornecedora de material esportivo da seleção brasileira se inspirou em 2020, 50 anos depois do tri. A nova camisa que o time canarinho vai estrear no próximo dia 13, contra a Venezuela, no Morumbi, pelas eliminatórias da Copa do Mundo do Catar, foi totalmente idealizada como o modelo da equipe de Pelé, Zagallo & cia.

Advertisement

E nada melhor do que o Velho Lobo para ser o garoto-propaganda do lançamento.

“A camisa amarelinha representa o que de melhor pode existir dentro da minha própria pessoa”.

Aos 89 anos, Zagallo contou em detalhes como foi convidado para ser o treinador da equipe de 70. Segundo o Velho Lobo, ele estava comandando um treino do Botafogo, na Escola de Educação Física do Exército, quando foi convidado por um dirigente da antiga CBD para assumir o posto.

“Ele me deu uma oportunidade para mudar o que eu estava vendo de errado. Se nós fossemos para uma Copa do Mundo no México jogando num 4-2-4, não chegávamos em lugar nenhum. As coisas foram mudando” – contou o ex-treinador.

Além de ter participado dos três títulos, dois como jogador e um como treinador, Zagallo ainda participou da conquista de 1994 nos Estados Unidos. Desta vez, o Velho Lobo era o coordenador técnico do grupo comandado por Carlos Alberto Parreira.

“A camisa amarelinha é respeitada. Pode estar numa má fase ou não, mas eles sabem que podem perder para ela mesmo não estando numa condição fenomenal”.

A camisa inspirada na conquista de 70 tem algumas curiosidades, entre elas o ano do tricampeonato na parte interna da gola.

“Temos vários elementos que convidam o torcedor a revisitar aquela camisa tão icônica. A gola careca e as mangas em verde são as que chamam mais atenção. Temos outros símbolos, como na parte interna da nuca escrito 70 com o grafismo tão simbólico da época” – explicou Gustavo Viana, diretor de marketing da Nike.

Um dos convocados por Tite para os jogos das eliminatórias, contra Venezuela, no dia 13, em São Paulo, e diante do Uruguai, em Montevidéu, o atacante Vini Jr, do Real Madrid, falou da responsabilidade de jogar pela seleção brasileira e da importância de Zagallo.

“Responsabilidade grande de vestir essa camisa. Ter a oportunidade de representar o meu país. Fico feliz e honrado de estar aqui ajudando o nosso país. Não pude acompanhar o Zagallo, mas sei de sua história e da sua importância. Você é um dos responsáveis por muitas dessas estrelas que temos aqui” – disse o jogador.

Comente! *Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Publicidade
Veja também
Publicidade
Publicidade
Publicidade
plataforma ead
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
error: Este conteúdo é protegido!