Quase dispensado no Atlético, Nathan vira titular

Postado em 01/10/2019 12:18

A escalação do Atlético para o jogo contra o Ceará, nesse domingo, no Independência, teve uma surpresa. O meia Nathan pintou entre os titulares, em uma função nova: a de primeiro volante. Com Jair e Ramón Martínez machucados, e Zé Welison em má fase, Rodrigo Santana optou por experimentar o jogador atuando na proteção da defesa. Nathan teve alguma dificuldade na marcação, mas colaborou muito na saída de bola e facilitou a transição ofensiva do Galo. Foi peça importante na vitória por 2 a 1

Nesta segunda-feira, em entrevista coletiva na Cidade do Galo, Nathan comentou sobre a atuação, a improvisação e a preparação para o jogo – que contou com participação direta de Adilson, ex-volante do Atlético e, hoje, auxiliar de Rodrigo Santana.

“Conversei com meus companheiros para eles me auxiliarem na marcação. Só tenho a agradecer pelo apoio em campo. Elias, Réver, (Igor) Rabello, os laterais também. Fiquei muito feliz em participar do jogo dessa maneira. Fiquei um pouco surpreso por ter jogado de primeiro (volante). O Rodrigo chegou pra mim durante a semana e falou que eu ia jogar de primeiro volante. Falei: “Vão bora, professor”. Estou aí, quero ajudar e, se for preciso, jogo de primeiro volante. A gente teve dois treinos antes do jogo. Tentei absorver o máximo possível”.

“Quem me ajudou muito foi o Adilson. Ele falou da leitura da jogada, chegar antes. Agora pretendo crescer. Se for pra jogar nessa posição, estou à disposição” – Nathan.

Quem joga como primeiro volante tem duas missões principais: proteger a defesa e dar qualidade à saída de bola do time, iniciando a transição ofensiva. Nathan fez isso muito bem, já que tem facilidade no passe, até por ser meia de origem. Foi esse o pedido de Rodrigo Santana para ele, que também não tem medo de “jogar feio” em caso de necessidade.

“O Rodrigo me pediu isso. Vou tentar exercer da melhor maneira (a saída de bola). Mas a gente não precisa ter vergonha de fazer o jogo longo, até porque o Di Santo, o Ricardo, o Alerrandro… O centroavante sabe segurar bem a bola. Às vezes, se o jogo está meio perigoso, a gente tem que saber jogar feio também. Prefiro jogar feio o jogo inteiro e acabar com a vitória. Melhor do que tentar jogar bonito e errar uma saída de bola. Mas estou ali para tentar ajudar na saída de bola, e fico muito feliz com essas oportunidades que venho tendo”.

Depois de ser aprovado no teste como volante, Nathan mira a titularidade.

“Sim, esse é meu objetivo agora. Venho trabalhando forte há muito tempo. Agradeço pela oportunidade e espero poder corresponder”.

“A gente passou por um momento muito difícil. Os torcedores e nós jogadores ficamos muito chateados pelo que aconteceu, pela eliminação. Abalou muito nosso time. Mas no dia seguinte a gente continuou trabalhando, porque temos que chegar no G-4 no Brasileiro. Quem é atleticano não deixa de ser atleticano do dia pra noite. O cara vai ficar p…, vai ter mágoa do que aconteceu, mas o cara, no fundo, é atleticano. E a gente espera que ele possa dar esse incentivo pra gente, que é muito importante”.

“Me adaptei muito bem. O começo foi um pouco difícil, mas agora me sinto em casa. Tenho muito interesse em ficar, já falei com meu pai, que cuida disso. Aqui me sinto bem. Gosto de todo mundo que trabalha aqui, do presidente a quem trabalha na cozinha. Todos são meus amigos, me dou super bem com todo mundo. Sei que posso ajudar muito o Galo”.

 

Veja também
Comentários *Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. comentarios
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com