Publicidade

Presidente do Atlético garante que “de graça” Cazares não sai.

Postado em 22/09/2020 13:24

BANNER FUTEBOL AGOSTO 2020

Encostado no Atlético, o meia Cazares tem contrato até o fim do ano, mas está em negociações para reforçar o Corinthians. No entanto, o presidente Sérgio Sette Câmara nega ter recebido proposta do clube paulista e garante que o equatoriano só deixa o Galo com uma compensação.

“Não recebemos proposta, o que vi foi aí na imprensa. Existe uma situação, o Cazares tem contrato conosco até 31 de dezembro e ele vai cumprir até a meia-noite de 31 de dezembro”.

“A proposta tem que vir no sentido de ser alguma coisa compensatória para o clube. Simplesmente, liberar o jogador sem qualquer tipo de compensação, não”.

O dirigente atleticano reclama que o Atlético já recebeu outras propostas para vender o meia, mas que o procurador de Cazares dificultou as negociações, pedindo valores “absurdos”.

“Nós tivemos outras propostas, todo mundo já sabe disso, já foi falado. Em diversas situações que tentamos liberar o jogador, houve uma dificuldade muito grande por parte do procurador dele. Eu tinha até um bom relacionamento com ele, mas ele não se mostrou correto conosco, no meu modo de ver, nesse sentido, porque foram muitas as propostas que vieram, e ele pedia um valor absurdo para ele mesmo ou para liberar o jogador, dificultando”.

O último jogo de Cazares com a camisa do Atlético foi em março. O meia não vai ser aproveitado pelo técnico Sampaoli e treina separado do resto da equipe. A passagem do equatoriano no Galo é marcada por muitas críticas por parte da torcida. Alguns reclamavam que o atleta não rendia o que era esperado dele. Durante a pandemia, já afastado do time, ele apareceu no noticiário fazendo festas e participando de “peladas”. Sette Câmara reforça que só libera Cazares se for vantajoso para o Atlético.

“É claro que eles estão pensando em pegar o passe dele no início de janeiro e negociar com algum clube, colocar algum dinheiro no bolso, mas eles vão ter que esperar até meia-noite do dia 31 de dezembro, porque eu também sou osso duro de roer e não vou liberar o jogador de graça, sem que o Atlético tenha algum tipo de compensação ou desconto daquilo que efetivamente a gente deve a ele. Alguma coisa tem que ser feita para compensar, senão ele vai ficando por aqui e cumprindo os horários dele lá no CT”.

Comente! *Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Publicidade
Veja também
Publicidade

Noticias relevantes:

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
error: Este conteúdo é protegido!