fbpx
Pular para o conteúdo

Cruzeiro sofre, mas arranca empate com Furacão e segue na luta contra a degola

Image

Em noite iluminada do goleiro Bento, do Furacão, Cruzeiro arranca empate no segundo tempo com golaço de Matheus Pereira e segue na briga para evitar o rebaixamento

O sufoco ainda não terminou. Na luta para afastar o risco de rebaixamento, o Cruzeiro contou com tropeços de seus principais adversários na rodada. Mas faltava fazer sua parte… E em jogo em que esbarrou em atuação excepcional do goleiro adversário, o time saiu atrás do placar, com um gol de Vitor Roque, na implacável ‘lei do ex’, mas teve forças para ao menos buscar o empate, em um golaço de Matheus Pereira.

Advertisement

Agora, para confirmar sua permanência na elite em 2024, o Cruzeiro precisa de ao menos dois pontos nas duas partidas que faltam, diante de Botafogo, domingo (3), no Mineirão, e Palmeiras, fora de casa (no dia 6), para não depender de outros resultados.

Para começar a partida, ‘atendendo o pedido’ da torcida, o técnico Paulo Autuori deu a primeira chance como titular ao prata da casa Japa e manteve Matheus Pereira no time, com o ataque sendo formado por Bruno Rodrigues e Arthur Gomes. O criticado Mateus Vital sequer foi relacionado para a partida. Segundo o clube, ele não se recuperou de uma pancada sofrida durante o jogo com o Goiás.

E a partida começou com o Cruzeiro impondo um ‘blitz’ sobre a defesa do Furacão. E logo foi se desenhando a tônica do primeiro tempo: a Raposa parando nas mãos do goleiro Bento.

A primeira grande oportunidade veio logo aos 7 minutos. E em dose tripla! Após cruzamento de William, Artur Gomes cabeceou no travessão. Na sobra, o atacante chutou novamente, Bento deu rebote, Marlon chutou cruzado, mas Cacá salvou em cima da linha.

Antes mesmo dos 15 minutos o Cruzeiro chegou bem em cobrança de falta de Filipe Machado e chute forte de Arthur Gomes, mas em ambas Bento mostrou segurança.

O time celeste manteve a pressão e aos 32 minutos já havia concluído a gol dez vezes, uma delas com Matheus Pereira arriscando da entrada da área e a bola passando muito perto.

A primeira finalização do Furacão veio apenas aos 39, em cobrança de falta de Vitor Bueno que Rafael Cabral defendeu bem. E, por uma daquelas ironias da bola, quase foi o Furacão quem abriu o placar. Aos 43 minutos, Marlon vacilou na saída de bola, Willian Bigode ficou cara a cara com Rafael Cabral, que faz excelente defesa, salvando o Cruzeiro

Velho conhecido

Na volta do intervalo, o Furacão voltou com Vitor Roque no lugar de William Bigode e Madson na vaga de Zapelli. O prata da casa celeste voltava de contusão, por isso não havia começado a partida como titular.

O Cruzeiro quase abriu o placar aos 2 minutos, após grande jogada de Marlon na linha de fundo. Ele cruzou para a área, Japa apareceu e bateu de primeira, mas bola passou muito perto. Bruno Rodrigues também teve boa chance pouco depois, mas parou em Bento.

A partida tomou ares de tensão para a China Azul aos 19 minutos. Fernandinho lançOU a bola na área, Erick desviou de cabeça e Vitor Roque completou de joelho pro gol. O garoto preferiu não comemorar.

A ducha de água fria não desanimou a torcida, que seguiu empurrando o time. O Furacão, por sua vez, passou a levar mais perigo.

O drama celeste parecia que terminaria aos 27 minutos, quando o Cruzeiro teve um pênalti. Arthur Gomes faz boa jogada, rola para Matheus Pereira que é derrubado por Erick. Mas, naa cobrança, Bruno Rodrigues parou no goleiro Bento aos 30 minutos. No rebote, Marlon isolou.

A torcida já havia perdido a paciência, mas o criticado Nikão, que havia entrado poucos minutos antes, achou Matheus Pereira na entrada da área, o o meia bateu com curva, no ângulo, para, enfim, vencer o goleiro Bento. No final, dos males, o menor. Mais um ponto somado na luta da Raposa.

FICHA TÉCNICA

Cruzeiro 1×1 Athlético-PR

Cruzeiro
Rafael Cabral; Willian, Luciano Castán, Neris e Marlon; Ian Luccas (Fernando Henrique), Japa (Nikão), Filipe Machado (Lucas Silva) e Matheus Pereira; Bruno Rodrigues (Papagaio) e Arthur Gomes (Robert). Técnico: Paulo Autuori

Athlético-PR
Bento; Matheus Felipe (Caíque Rocha), Thiago Heleno e Cacá; Cuello, Fernandinho, Erick, Vitor Bueno (Hugo Moura) e Christian (Rômulo); Bruno Zapelli (Madson) e Willian (Vitor Roque). Técnico: Wesley Carvalho

Motivo: 36ª rodada Brasileirão 2023
Local: Mineirão, em Belo Horizonte
Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (RS)
Auxiliares: Tiago Augusto Kappes Diel (RS) e Maira Mastella Moreira (RS)
VAR: Daniel Nobre Bins (VAR-FIFA/RS)
Gols: Vitor Roque, 19, Matheus Pereira, 38 do 2º
Cartões amarelos: Ian Luccas, Neris (C); Matheus Felipe, Cacá, Hugo Moura, Rômulo (A)
Público: 36.696
Renda: R$ 1.519.277,50

fonte:www.otempo.com.br

ouça os gols na voz de Victor de Castro

mobile