Publicidade

Atlético quer jogador destaque do América.

Postado em 23/09/2020 12:29

BANNER FUTEBOL AGOSTO 2020

O Coelho faz boa temporada 2020, é o atual quinto colocado da serie B e chegou às oitavas de final da Copa do Brasil pela terceira vez em sua história. O trabalho de Lisca é muito bem avaliado e, dentro de campo, o técnico do Coelho tem Alê como uma das referências técnicas e táticas. O meia americano, de 30 anos, é um dos destaques do time no ano, o que tem chamado atenção de outros clubes. De acordo com o próprio Lisca, uma das equipes de olho em Alê é o Galo. 

“Espero que ele fique aqui até o final da Série B, porque sei que tem muitos times de olho nele, inclusive o nosso rival aqui de Minas. Eu mexo com ele diariamente. Ele brinca comigo também, que chega pra todo mundo, sai na imprensa, só pra ele que não. Mas com certeza é um jogador que está chamando muita atenção, não só do Atlético, mas de todo o mercado”.

O treinador americano encheu Alê de elogios e detalhou as características do “jogadoraço” que tem em seu elenco.

“O Alê é um jogador diferenciado, porque é multifuncional. Faz as três funções que o futebol exige: marca, articula e chega pra fazer gol. Isso que a gente está trabalhando com ele. É um jogador muito importante pro nosso time na construção, troca de ritmo, organiza muito nosso lado esquerdo, marca muito no meio, até porque, em outros times, jogou muitas vezes de volante, segundo volante”.

“Aqui ele joga um pouquinho mais adiantado, nesse meio-campo com Zé (Ricardo), Juninho e Alê, com muita dinâmica, muita troca de função também com o extremo do lado esquerdo. Ele constrói muito bem aberto, por dentro também. Realmente é um “jogadoraço”, que está crescendo muito no mercado, está evoluindo. Já está com 30 anos, está bem maduro, rodou por muitos clubes menores, aprendeu muito com isso e está valorizando essa oportunidade”.

Alê, de fato, rodou por vários clubes pequenos até chegar ao América. A carreira começou no Primeira Camisa, clube do interior paulista, sediado em São José dos Campos. De lá até o Coelho, o meia passou por Taubaté, Osasco, Grêmio Barueri, Audax Rio, Uberlândia, Coimbra, URT, Caldense e Cuiabá.

Lisca ainda revelou que Alê tem o plano de, no futuro, seguir a carreira de treinador. Antes disso, porém, ainda tem um período para, de acordo com o técnico do Coelho, “ganhar bastante dinheiro”.

“A gente está muito feliz com o trabalho dele. Ele é chato, ranzinza, competitivo, mas é isso que a gente quer: indignação. É um jogador que discute muito a parte tática com a gente, contesta algumas vezes, faz colocações, e é mais um treinador que está surgindo aí”

“Ele, quando largar a carreira, com certeza, e ele já me falou isso, tem ideia de trabalhar na parte técnica e tática do futebol. Acho que tem tudo pra fazer isso. Mas ainda tem mais uns cinco, seis anos para queimar lenha, ganhar bastante dinheiro, e depois ir lá pro nosso lado e começar a viver o futebol do lado da comissão técnica”.

Comente! *Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Publicidade
Veja também
Publicidade

Noticias relevantes:

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
error: Este conteúdo é protegido!