Finanças: Surpresa! - Portal MPA

Publicidade

NORD Research

Finanças: Surpresa!

Postado em 21/03/2021 12:00

Há 6 anos, aconteceu uma das últimas tentativas do BC de tentar subir os juros. Não eram tempos fáceis: a inflação rondava acima de 10 por cento, as expectativas de inflação estavam desacordadas e enfrentávamos uma baita crise econômica.

Com tudo isso em mente, a autoridade monetária já vinha dando sinais de que subiria os juros em 0,5 p.p. Era a chance que eles tinham de mostrar que seguiam comprometidos com as metas de inflação.

Advertisement

No dia de decisão, o BC não o fez, colocando como desculpa um relatório do FMI revisando negativamente o crescimento econômico local. Patifaria! O mercado já sabia que provavelmente era o Planalto quem dava as cartas naquele momento.

Se o Banco Central ainda tinha alguma credibilidade restante, ela havia ruído a partir daquele instante. Não à toa, na história, Alexandre Tombini (presidente do Banco Central da época) ficou conhecido no mercado como “Pombini”.

Ilustração de uma pomba com o texto "Pombini" abaixo.

Desde então, as gestões seguintes, de Ilan e Roberto Campos, sacramentaram um ponto importante para a política monetária: a busca por credibilidade. Foi isso que permitiu toda a queda de juros subsequente, e uma nova era se iniciou.

Uma vez conquistadas as rédeas do processo inflacionário e iniciado o ciclo de reformas, vivenciamos um ciclo muito positivo no Brasil. A Selic, que era de 14,25 por cento, foi reduzindo até os 2, com um pit stop no nível de 6,5 por cento. Nesse meio do caminho, os juros de mercado (prefixados e reais) foram se comprimindo.

A bolsa saiu dos seus níveis mais deprimidos, aos 40 mil pontos, e chegou a ultrapassar os 120 mil pontos recentemente…

Gráfico apresenta retorno total do CDI, IMA-B e Ibovespa. Período: 2015 a 2021.

Fonte: Bloomberg

Com todos os vetores de geração de valor apontados para a mesma direção, deu para ganhar bastante dinheiro. Se você simplesmente carregou o IMA-B, uma cesta de tesouro IPCA, já teve um belíssimo retorno.

Olhando à frente, o cenário vai se alterando. Os dias de tranquilidade externa e excesso de liquidez dão lugar a tempos de aperto das condições financeiras, com a treasury subindo. Os ciclos de queda de juros agora se transformam em altas. Brasil, Turquia, Rússia e outros emergentes serão pressionados na mesma direção (fruto do ambiente externo menos convidativo).

Teremos eleições no ano que vem, fator que pode mudar completamente o cenário. Ademais, o problema fiscal não foi resolvido. Os dias mais fáceis vão ficando para trás, e você precisa se adaptar.

Os últimos tempos foram de extremo otimismo e, nesse período, o número de pessoas físicas na bolsa multiplicou por várias vezes. Os resultados encontrados até o momento foram extraordinários, sem a menor sombra de dúvidas.

Se avaliarmos o desempenho de uma carteira balanceada entre ativos diferentes e uma que só conste o Ibovespa, o resultado é claro em favor da segunda (gráfico da esquerda). Essa onda de bons retornos levou a negligenciar a necessidade de um portfólio bem balanceado.

Gráfico à esquerda: retorno total de um portfólio balanceado e o Ibovespa (jan2016=100).
Gráfico à direita: retorno total de um portfólio balanceado e o Ibovespa (jan2010=100).

Fonte: Economatica.

Entretanto, lembre-se de que o Brasil é bem cíclico. Não podemos montar uma carteira somente pensando nos dias de glória de nossas terras, mas também devemos nos preparar para o que virá adiante.

Veja como, em 10 anos, ter uma alocação balanceada entre classes de ativos diferentes foi muito mais rentável.

Investimentos e construção de patrimônio são maratonas, não corridas de 100 metros livre. É importante, sim, vencer as pequenas batalhas, mas para triunfar na guerra é exigido muito mais de você como investidor.

As águas parecem um pouco mais agitadas, e talvez seja a hora de você começar a diversificar um pouco mais a sua carteira.

Se não sabe bem como fazer isso, comece conhecendo o Nord Advisor. Você poderá montar uma carteira com Ações, Fundos, Fundos Imobiliários, Ações de Dividendos e Renda Fixa. É uma excelente relação custo x benefício.

E, por falar em Renda Fixa, já tem gente dizendo que esse ativo está renascendo das cinzas e voltando a ganhar importância. É bom ficarmos atentos.

Um grande abraço,

Postado originalmente por: Nord Research

Publicidade
Veja também
Publicidade

Noticias relevantes:

<
Comentários *Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. comentarios
Autor do blog: Nord Research

RECOMENDAÇÕES DE INVESTIMENTO COM RESULTADOS COMPROVADOS
A geração de riqueza para nossos assinantes é o nosso compromisso primordial. Somos uma casa de análise independente formada por profissionais com ampla experiência de mercado.

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
error: Este conteúdo é protegido!