Publicidade

NORD Research

Finanças: Agora somos iguais

Postado em 24/10/2020 11:00

Pequenos investidores agora podem investir em empresas estrangeiras, a partir do mercado local, por meio dos BDRs. Seria uma vantagem?

Todos no mesmo quadrado

Na quinta-feira desta semana, todos os pequenos investidores conquistaram o direito de investir em BDRs, privilégio até então concedido apenas aos mais abastados, com patrimônio superior a 1 milhão de reais, ou classificados como Investidores Qualificados perante a Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

Foi uma bela conquista (obrigado, CVM!). Todavia, a meu ver, isso deveria ter acontecido há muito tempo, visto que esses títulos já estão disponíveis no mercado brasileiro há anos.

O que são BDRs?

O BDR (Brazilian Depositary Receipt) ou, em português, “certificado de depósito de valores mobiliários” é um título expedido no Brasil que representa outro título  normalmente as Ações  emitido por companhias listadas nas Bolsas internacionais.

Para que o BDR possa existir, uma instituição depositária adquire, no exterior, Ações de uma companhia e as mantém em conta de custódia.

Em seguida, ela cria no Brasil um programa de BDR e as registra na CVM para negociação. Dessa forma, os BDRs são negociados na B3.

Vale ressaltar que, pela natureza do título, quando o investidor compra um determinado BDR de uma empresa internacional  cujas Ações são negociadas no exterior   o preço do BDR aqui no Brasil segue a variação das Ações no exterior, assim como a variação cambial, seja ela positiva ou negativa.

O mercado de BDRs na B3

Hoje, temos acesso a nada menos do que 671 BDRs listados na B3, que obviamente incluem as grandes empresas dos Estados Unidos, como Coca-Cola, Walmart, Apple, Facebook etc.

Ao longo do ano, o mercado de BDRs foi ganhando liquidez e hoje negocia em torno de 191 milhões de reais por dia, frente a 25 milhões em setembro do ano passado. Uma bela evolução, mas o volume ainda é incipiente se comparado ao mercado à vista de Ações na B3, que movimenta aproximadamente 20 bilhões de reais por sessão.

Gráfico mostra a evolução mensal da relação entre ADTV (R$ milhões) e Média diária de negócios, do período de setembro/2019 a setembro/2020.

Fonte: B3

A expectativa do mercado é que esse volume aumente consideravelmente ao longo dos próximos meses, agora que os pequenos investidores podem negociar esses títulos. Além disso, temos visto uma verdadeira enxurrada de instituições financeiras fazendo propaganda e oferecendo esse produto aos seus clientes nos últimos dias  virou o assunto do momento entre as rodinhas de família durante a macarronada de domingo.

Uma das medidas tomadas pela B3 visando facilitar o acesso do pequeno poupador foi a redução do lote padrão  quantidade mínima que pode ser negociada no mercado  de 10 unidades de cada BDR para apenas 1 unidade.

Como mostra o quadro abaixo, o BDR da Apple (AAPL34) foi o mais negociado na B3 durante o ano, com 6,7 por cento do total.

Quadro mostra o Top 10 BDRs em 2020 (em volume diário ADTV no ano), com Apple (AAPL34) no topo.

Fonte: B3

Levando em conta que agora o investidor pode negociar 1 unidade, no caso da Apple, o investimento seria de aproximadamente 65 reais, o que cabe no bolso de muita gente. Entretanto, caso seu intuito seja se tornar sócio do bom velhinho Warren Buffet, aplicando nas Ações da Berkshire através de um BDR (BERK34) aqui no Brasil, o desembolso fica por volta de 1200 reais para apenas 1 BDR.

Trago essa diferença entre os preços de tela  não confunda com o valor da empresa, pois se uma Ação custa 1 real ou 500, isso nada diz sobre o efetivo valor das operações dela  pois a realidade nos Estados Unidos é bem diferente nesse quesito.

Ao abrir uma conta em uma corretora no exterior  temos boas opções hoje em dia, com atendimento em português que permite a realização da operação de câmbio dentro do próprio website  você poderá negociar frações de Ações.

Pegando o exemplo da Berkshire, você poderia, por exemplo, comprar 0,01 Ação e seu custo, em dólares, seria de aproximadamente 2 dólares  menos do que um café acompanhado de um pão de queijo.

Acredito que, nesse sentido, o mercado norte-americano seja mais justo com os pequenos investidores. Quem sabe um dia também teremos essa possibilidade por aqui? Alô, CVM! #ficaadica.

A mordida do leão

Além da possibilidade do pequeno investidor ter acesso ao mercado fracionário nos Estados Unidos, considero também muito relevante a diferença de tributação dos ganhos de capital entre os dois países.

Os ganhos de capital nas operações com BDRs são isentos de IR até o limite mensal de 20 mil reais movimentados no mês em questão  exatamente como é o procedimento com Ações hoje em dia.

Entretanto, caso o investidor movimente na ponta de venda mais de 20 mil reais e as operações apresentem ganho de capital, este será tributado à alíquota de 15 por cento.

Para os investimentos no exterior, a história é um pouco mais vantajosa para o pequeno investidor, no meu ponto de vista.  

Ele é isento do recolhimento do imposto de renda sobre ganho de capital caso a movimentação na ponta de venda seja igual ou inferior a 35 mil reais. Acima desse montante vale a regra anterior, com alíquota de 15 por cento¹.

¹Fonte: https://www.conjur.com.br/2020-ago-28/vitor-flores-consideracoes-tributacao-bdrs

O quadro abaixo mostra a diferença entre as duas regras e como o investimento diretamente no exterior pode ser mais vantajoso para o pequeno investidor, pois há uma boa economia com impostos, o que, ao longo de vários anos, certamente resultará em uma bela diferença.

Há duas tabelas. A primeira mostra os meses com somatório de vendas abaixo de 35 mil reais (ganho de capital nos investimentos/imposto sobre lucros de BDRs/imposto sobre lucros de Ações nos EUA). A segunda mostra os meses com somatório de vendas acima de 35 mil reais.

Fonte: Avenue Securities LLC

Nord Global

Minha opinião é que o investimento diretamente no exterior confere ao pequeno investidor mais ganhos do que perdas ao longo dos anos.

Para ajudar a pessoa física a acessar o mercado internacional, criamos o Nord Global três meses atrás, capitaneado por mim. Até o momento, o feedback tem sido muito positivo:

Print da avaliação e depoimentos positivos sobre a série Nord Global.

Na carteira do Nord Global, prezo pela diversificação. Temos  Ações com grande potencial de valorização no longo prazo, mas também nomes que pagam bons dividendos, assim, vamos administrando o risco do portfólio.

Acredito que a preservação do capital é fundamental para o sucesso de qualquer investidor no longo prazo. Por isso, preocupo-me em escolher boas opções de investimento para que nós – eu e você–possamos dormir tranquilos à noite, pois dinheiro não aceita desaforo.

Quer conhecer um pouco mais sobre o Nord Global, ter contato direto comigo para esclarecer suas dúvidas e obter ajuda por todo o caminho?

O Nord Global está fechado para novas assinaturas. Porém, dada a relevância do tema, abrimos uma exceção neste final de semana. Confira este link para descobrir a oferta especial que fizemos para você.

Postado originalmente por: Nord Research

Publicidade
Veja também
Publicidade

Noticias relevantes:

<
Comentários *Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. comentarios
Autor do blog: Nord Research

RECOMENDAÇÕES DE INVESTIMENTO COM RESULTADOS COMPROVADOS
A geração de riqueza para nossos assinantes é o nosso compromisso primordial. Somos uma casa de análise independente formada por profissionais com ampla experiência de mercado.

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
error: Este conteúdo é protegido!