Publicidade

Psicóloga da dicas práticas para pais conseguirem lidar com as birras infantis

Postado em 27/01/2019 21:29

 

A psicóloga infantil e especialista em educação preventiva Mariana Costa, responsável pelo canal  “Infância Divina” trás dicas práticas para lidar com as “birras” dos pequenos, confira:

 

 

Quando acreditamos já ter  oferecido tudo as crianças, elas ainda precisam de mais: calor, afeto, colo, proteção e presença, assim são as crianças. Todas as experiências são vividas com intensidade e sentidas profundamente por elas. Muitas emoções que surgem nesta descoberta de serem humanas, ainda não conseguem traduzir em palavras. Por isso, comunicam suas necessidades através de ações e o choro, a birra e o grito são frequentes. Reconhecer o que realmente estão tentando dizer demanda um olhar atento de quem se faz disponível e presente.

 

Culturalmente aprendemos que é preciso controlar as crianças mas, comportamentos impulsivos e inflexíveis também devem ser vistos como parte do processo de desenvolvimento e amadurecimento das funções cognitivas. Assim, o que as crianças fazem não é, à princípio, para estabelecer uma luta de poder com os pais, mesmo que estes sempre pensem assim. Elas estão crescendo e queremos que se alimentem, tomem banho e guardem seus brinquedos sozinhas, mas não queremos escutar suas vontades; somente que obedeçam às nossas.

 

 

É importante saber que quando a criança insiste não significa que ela não respeite os pais ou que estes não tenham autoridade. Ainda é difícil para a criança controlar os seus ímpetos e age guiada pelo princípio do esforço que lhe diz: “se eu me esforçar vou conseguir o que quero” (mesmo princípio utilizado para conquistas no primeiro ano de vida, como aprender a andar).

 

Ferimos a criança quando batemos e também quando a ignoramos. Acolhê-la no momento de “pirraça” não significa fazer o que ela quer, mas, mostrar que estamos prestando atenção e respeitando o seu sofrimento. Obviamente é nosso papel corrigir, conversar e explicar, mas, o mais importante é conseguir escutar a criança, independente da forma como se comunica.

 

Como sabemos que lidar com momentos de birra exige muita habilidade dos pais, preparamos algumas dicas:

– Lembre-se que por detrás dos ataques de raiva da criança existe um sofrimento sendo comunicado.

– Pergunte a si mesmo: o que ela está tentando comunicar com este comportamento?

– Converse. Seja firme e assertivo. Olhe para a criança enquanto diz o que você quer que ela faça e não, o que não quer. E não se esqueça de ouvir o que ela tem a dizer.

– Use frases curtas no momento do comando. Crianças pequenas não conseguem processar frases longas e confundem-se ainda mais sobre o que precisa ser feito.

–  Aja. Não adianta falar e pensar que tudo estará resolvido. Educar demanda tempo e disponibilidade física. Aproxime-se da criança estando corporalmente disponível, com as mãos livres de objetos, principalmente do celular!

– Dê uma opção para criança do que ela pode fazer, sugira alguma brincadeira ou mostre algo que possa interessá-la, mudando o foco da situação.

– Desenvolva ambientes nos quais ela tenha liberdade para brincar e explorar.

– Entenda que o choro é uma das formas de expressão dos sentimentos e precisa ser respeitado. Fique perto da criança e não deboche das suas emoções.

Mariana Costa  é responsável pelo canal Divina Infância, psicóloga de crianças e especialista em educação preventiva e curativa. 

Comente! *Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Publicidade
Veja também
Publicidade

Noticias relevantes:

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
error: Este conteúdo é protegido!