Publicidade

Cantor sertanejo continuará preso por ordem da Justiça

Postado em 09/06/2019 10:01

Cantor sertanejo Luiz Henrique Ribeiro da Costa Lesniovski, conhecido como Rick Ribeiro, continuará preso após ser acusado de chefiar organização criminosa

 

O cantor sertanejo Luiz Henrique Ribeiro da Costa Lesniovski, conhecido como Rick Ribeiro, surpreendeu em meados de setembro do ano passado, ao ter sido preso devido a uma denúncia feita na qual o acusava de ser um dos líderes de uma organização criminosa que era praticante de fraudes bancárias na internet com hackers. A prisão do cantor está pendente desde então, entretanto, ainda que tenha sido feito um pedido de habeas corpus em defesa do músico, o recurso foi negado, de acordo com informações do jornal Estadão.

 

Advertisement

O ministro do Supremo, Alexandre de Moraes, considerou que a prisão do artista está embasada em fundamentação jurídica válida, e a decisão foi dada pela 2.ª Vara Criminal de Barra Mansa, no Rio de Janeiro, com a justificativa de manutenção da ordem pública e econômica e da aplicação da lei penal. Segundo o Ministério Público carioca, na denúncia, o músico usava um codinome, e foi apontado como um dos principais nomes da organização, sendo que além dele, outros 29 nomes apontados como suspeitos, foram presos.

 

Rick Ribeiro foi acusado de fraude bancária

A prisão, que integra em parte da investigação em segunda fase, batizada de Operação Opens Doors, foi questionada em inúmeras instâncias, e chegou a passar pelo Tribunal de Justiça do Rio, e o Superior Tribunal de Justiça (STJ), entretanto, sem sucesso.

LEIA TAMBÉM: Ouça os maiores sucessos da música sertaneja no Spotify

Procurado, o advogado de Rick, Rodrigo Ribeiro, afirma que prosseguirá tentando recorrer contra a decisão. “Essa questão tem uma ilegalidade enorme e nosso recurso será endereçado para a Segunda Turma julgadora do Supremo”, garantiu.

 

Comente! *Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Publicidade
Veja também
Publicidade
Publicidade
Publicidade
plataforma ead
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
error: Este conteúdo é protegido!