Publicidade

Jovens de MG estão na lista dos mais contaminados

Postado em 07/03/2021 10:08

Apesar de a maioria dos diagnósticos estarem associados ao chamado “grupo de risco” – como idade superior a 60 anos ou doenças crônicas –, não é uma regra.

E, para piorar, as internações da faixa fora de risco têm aumentado. Médicos que trabalham na linha de frente acreditam que as flexibilizações e a inconsequência dos jovens resultam na alta de ocupação de leitos. As variantes do novo coronavírus estão atacando a população mais jovem.

”É preciso entender que o risco de morrer ainda é grande. As pessoas não estão protegidas pela idade ou por não pertencer ao grupo de risco”

Fernando Botoni, médico intensivista e professor do Departamento de Clínica Médica da Faculdade de Medicina da UFMG

De acordo com a Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG), a média de idade dos casos confirmados de COVID-19 é de 42 anos. No que diz respeito às mortes, esse número sobe para 71.

Advertisement

No entanto, 20% das mortes são de pessoas abaixo dos 60. Em Belo Horizonte, os óbitos de pacientes abaixo dessa faixa correspondem a 16,6%, segundo a Secretaria Municipal de Saúde.

Comente! *Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Publicidade
Veja também
Publicidade
Publicidade
Publicidade
plataforma ead
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
error: Este conteúdo é protegido!