Publicidade

Suspeito de aplicar golpe do cartão clonado é preso em Nova Lima

Postado em 21/01/2021 11:03

Suspeito de aplicar golpe do cartão clonado é preso em Nova Lima foto PCMG

Uma intervenção conjunta das polícias Civil e Militar resultou na prisão em flagrante de um homem, de 29 anos, pelo crime de estelionato em Nova Lima, Região Metropolitana de Belo Horizonte. Ele é suspeito de aplicar o golpe do cartão bancário clonado e já teria vitimado quatro pessoas da cidade, causando um prejuízo aproximado de R$ 10 mil. As equipes prenderam o investigado quando ele tentava recolher os cartões de uma das vítimas na casa dela, no início desta semana.

 

Ao perceber a ação policial, o suspeito tentou fugir, mas foi alcançado. Os policiais também localizaram um veículo que estava sendo usado pelo suspeito. No interior do carro havia cartões bancários de outras vítimas, máquinas de cartão, diversos comprovantes de compras, uma Carteira Nacional de Habilitação falsa, entre outros materiais de interesse para as investigações. O homem foi autuado e, posteriormente, encaminhado ao sistema prisional.

Advertisement

 

Nos últimos dois anos, sete suspeitos foram presos em flagrante por envolvimento nessa modalidade de golpe na área de abrangência da Delegacia Regional em Nova Lima. Os policiais civis que atuam no combate a crimes patrimoniais alertam: “as instituições financeiras não recolhem cartões bancários na casa de seus clientes”. O cidadão também não deve repassar nenhum dado por telefone. E, após recebimento de ligação sobre eventual problema, o titular da conta deve consultar seu gerente.

 

Abordagem

 

Nesse tipo de fraude, os golpistas costumam fazer uma ligação telefônica prévia para a vítima, informando que os cartões bancários dela foram clonados, e orientam que o cliente entre em contato com a central de atendimento. A vítima acredita que está telefonando para a central de seu banco, quando, na verdade, está falando com os criminosos.

 

Na sequência, o suposto atendente solicita dados, como números do cartão, código de segurança, validade, nome, além da senha. Explica, ainda, que é necessário realizar perícia no cartão e, para tanto, uma pessoa vai buscar o objeto na casa da vítima. Após, já com as informações, são efetuadas diversas compras, transferências e saques da conta da vítima.

 

Participaram da ação policial a Delegacia de Combate a Crimes Patrimoniais em Nova Lima, as delegacias de Plantão em Nova Lima e Santa Luzia, além da 1ª Cia PM Ind da Polícia Militar.

Comente! *Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Publicidade
Veja também
Publicidade
Publicidade
Publicidade
plataforma ead
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
error: Este conteúdo é protegido!