Subcomandante de Divinópolis coordena comitiva no Seminário Nacional de Bombeiros 

Postado em 18/11/2019 17:52

Entre dias 12 e 14 de novembro, aconteceu em São Luiz do Maranhão o Seminário Nacional de Bombeiros (SENABOM), maior evento da categoria na América Latina, que, reservou para o Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais (CBMMG) um significativo espaço de preleção sobre temas de extrema relevância no cenário preventivo e operacional das corporações brasileiras.

A comitiva de militares mineiros, sob a coordenação do Major BM Joselito Oliveira de Paula, Subcomandante do 10º BBM, teve a oportunidade de compartilhar um pouco da expertise adquirida em Minas com colegas de farda de outros Corpos de Bombeiros de diversos estados do Brasil.

A troca de experiências, muito importante para o aperfeiçoamento das aptidões militares, contribuiu para esclarecer dúvidas, agregar conhecimento e fazer novas amizades. Foram proferidas palestras por militares do CBMMG nas áreas da Saúde, Atendimento Pré-Hospitalar, Brumadinho, Proteção e Defesa Civil, Atuação Operacional dos Cães, Atendimento Aeromédico, Atuação da Assessoria de Comunicação na Operação Brumadinho e sobre a Ajuda Humanitária e Ações Operacionais em Moçambique.

Na ensejo ocorreu também a certificação de busca, salvamento e resgate com cães de pessoas vivas e de cadáveres em estruturas colapsadas. A certificação visa atestar e garantir a qualidade de trabalho dos cães nacionalmente. O CBMMG, participou enviando três de seus cães para participar do evento e tentar a certificação. Vale lembrar que estes cães foram imprescindíveis nas buscas pelas vítimas do desastre que aconteceu em Brumadinho, pois atuaram desde o primeiro dia na ocorrência, ajudando na localização dos corpos.

Além das palestras, a comitiva mineira contou ainda com uma equipe de bombeiros competidores que participaram da tradicional disputa do “Bombeiro de Aço”. Essa prova técnica, tradicional entre os bombeiros, visa simular um combate a incêndio em edificação elevada, com arrombamento e retirada de vítima. A atividade testa ao extremo a capacidade física do atleta, que deve executar a prova no menor tempo possível, de forma ininterrupta e com a menor quantidade de erros, em obediência aos critérios e parâmetros definidos no regulamento similar ao padrão mundial.

Veja também
Comentários *Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. comentarios
error: Este conteúdo é protegido!