Operação da Polícia Civil prende 20 por extração ilegal de minério em Divinópolis e outras cidades mineiras - Portal MPA

Publicidade

Operação da Polícia Civil prende 20 por extração ilegal de minério em Divinópolis e outras cidades mineiras

Postado em 15/06/2021 20:20

Operação Cavalo de Aço. Foto: Divulgação/PCMG

 

A Polícia Civil realizou uma operação em repressão à extração ilegal de minério em Divinópolis e outras cidades do estado. A operação Cavalo de Aço resultou na prisão em flagrante de 20 pessoas, bem como na apreensão de 15 caminhões, quatro pás carregadeiras, uma escavadeira, uma peneira tipo esteira de mineração e outros maquinários pesados utilizados na atividade. A ação policial ocorreu na última quarta-feira, 09, em Divinópolis, Mateus Leme, na Região Metropolitana, e Ijaci, no Sul de Minas. A informação foi divulgada nesta terça-feira, 15.

Policiais da Delegacia Especializada de Repressão a Roubo a Bancos, pertencente ao Departamento Estadual de Investigação de Crimes Contra o Patrimônio (Depatri), apuraram que a extração ilegal ocorria diuturnamente e que os envolvidos se desviavam de barreiras policiais.

De acordo com o delegado João Prata, as investigações apontam para várias empresas que atuavam no esquema sob fachada de atividades lícitas. Segundo ele, seriam organizações criminosas voltadas à extração ilegal de minerais, usurpação de bens da união, sonegação fiscal, lavagem de dinheiro e ocultação de bens e valores destinados ao enriquecimento ilícito. “As empresas agiam sob a égide legal de beneficiamento e reprocessamento de refratários usados, sucatas metálicas e escórias, aproveitando-se do fornecimento de minério de ferro por meio de extrações ilícitas”, conclui.

Em levantamentos policiais, calcula-se que foram extraídas e beneficiadas ilegalmente cerca de 750 toneladas de minerais por dia, observado o intenso fluxo de caminhões durante o monitoramento, causando prejuízos ambientais e financeiros por ocasião da sonegação fiscal.

As diligências continuam no intuito de pormenorizar e individualizar as participações de cada envolvido, bem como identificar e qualificar outros, pessoa física ou jurídica, integrantes da organização criminosa.