Publicidade

MP denuncia delegados Ivan Lopes e Leonardo Pio investigados na operação One Way

Postado em 27/05/2021 23:11

 

O Ministério Público de Minas Gerais anunciou a conclusão do inquérito produzido a partir da Operação One Way. A investigação conduzida em conjunto pelo MP através do Gaeco Regional de Divinópolis e da Promotoria de Justiça de Defesa do Patrimônio Público e do Controle Externo da Atividade Policial da comarca, além da Corregedoria-Geral da Polícia Civil de Minas Gerais completou mais de um ano.

Advertisement

A denuncia foi oferecida a justiça no dia 29 de abril. O Ministério Público fez a representação contra 10 pessoas. Entre os denunciados, estão dois delegados de polícia, um investigador de polícia, laranjas e empresários do ramo de estampas de placas veiculares. No inquérito entregue a justiça à promotoria diz que a análise dos diversos materiais e documentos apreendidos, fortaleceram os elementos probatórios produzidos no âmbito do procedimento investigatório criminal e subsidiou o oferecimento da peça acusatória.

O delegado ex-chefe de departamento Ivan José Lopes foi denunciado pelos crimes de Falsidade Ideológica, Lavagem de Dinheiro, Organização Criminosa e Crimes contra a Ordem Tributária, alguns deles cometidos por pelo menos 4 vezes. Só a última acusação pode gerar uma pena que varia de 2 há 5 anos de prisão. Já o ex-delegado regional Leonardo Pio foi denunciado pelos Crimes de Organização Criminosa, Prevaricação, Crime Contra a Ordem Tributária e Falsidade Ideológica, as penas somadas podem chegar a 19 anos de reclusão.

Na denuncia encaminhada a justiça à promotoria pede a condenação dos denunciados nas penas que lhes couberem, inclusive com a perda da função pública no caso dos delegados e do investigador Hamilton Rezende. A Polícia Civil disse que as investigações estão sendo feitas em parceria com o Ministério Público e tramitam em sigilo. As medidas administrativas estão sendo adotadas. Ivan Jose Lopes disse que seu advogado vai se pronunciar no momento oportuno. Já o delegado Leonardo Pio disse que não foi notificado oficialmente sobre o termino do inquérito, mas ele nega todas as acusações da promotoria.

A Operação One Way realizada em 2020 tinha o objetivo de identificar a prática de fraudes no credenciamento de fábricas e estampadoras de placas veiculares. Na época foram cumpridos um mandado de prisão, 29 mandados de busca e apreensão, além de medidas de bloqueio de valores, sequestro de bens e suspensão das atividades das empresas investigadas. Os mandados foram cumpridos em Divinópolis, Belo Horizonte, Itaúna, Formiga, Pará de Minas, Bom Despacho, Lagoa da Prata, Santo Antônio do Monte, Itapecerica, Itatiaiuçu e Itaguara. A Operação One Way contou com a participação de seis promotores de Justiça, cinco servidores do MPMG e 70 policiais civis.

Comente! *Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Publicidade
Veja também
Publicidade
Publicidade
Publicidade
plataforma ead
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
error: Este conteúdo é protegido!