EM João Severino Azevedo fará momento de valorização a leitura

Postado em 17/05/2019 15:29

A Escola Municipal João Severino de Azevedo, no bairro Davanuze, promoverá, na segunda-feira (20/05), o Dia das Estrelas. A unidade escolar fará momento para valorizar os alunos que mais leram do início do ano até maio. O objetivo principal é valorizar a leitura.

O evento acontecerá na biblioteca da escola e terá participação de aproximadamente 60 alunos. No dia, estes terão programação diferenciada dos demais, apresentação de clarinete da professora de inglês Adriana de Souza, histórias contadas pela bibliotecária Renata Camargos e, ainda, receberão merenda especial. Alunos do 6º ao 9º ano de 10 a 15 anos participarão do momento.

O Projeto das Estrelas é realizado na escola há seis anos e acontece durante o ano letivo, com cinco eventos e avaliações semanais da leitura dos alunos da escola. De acordo com a professora e bibliotecária Renata Camargos, um dos desafios enfrentados na maioria das escolas, principalmente as periféricas, é a indisciplina e a constatação de que os alunos não possuem hábito de leitura. “Torna-se primordial a necessidade de revitalizar a biblioteca da escola fazendo-se que esta deixe de ser espaço obsoleto, ultrapassado e tome lugar de destaque, transformando-se em ambiente agradável e desejado pelo aluno. Para isso, a biblioteca foi informatizada e reestruturada e tornou-se mais aconchegante e visualmente agradável”, destacou.

A nova visão foi implantada com o apoio da direção escolar, dos funcionários e da comunidade. A biblioteca foi reorganizada com reutilização de material já existente, preparando-se espaço limpo e moderno para leitura e pesquisas para que os alunos se sintam atraídos a frequentá-la.

A E.M. João Severino de Azevedo realizou adequação do espaço verificando acervo, disposição do material bibliográfico e equipamentos, criação de prateleira chamada Prateleira das Estrelas com os melhores e mais cobiçados livros da escola, elaboração de carteirinhas e horários da biblioteca, confecção de mural e cartão para presentear os alunos. Também promoveu divulgação da biblioteca, cronograma de atividades e dias de troca de livros.

Outra ação foi informatizar e cadastrar o acervo e os alunos no software. A plataforma utilizada foi o Biblivre, programa informático totalmente gratuitamente disposto na rede o qual atende às necessidades do espaço, tornando o acesso e a localização do acervo mais rápidos e dinâmicos e o controle de empréstimo mais eficiente.

Logo após, cronograma de uso do espaço foi divulgado na escola para proporcionar às turmas acesso à biblioteca para leitura, pesquisa e entretenimento. Outra ação foi descartar exemplares em mal estado, já redirecionando artigos não característicos a uma biblioteca.

A escola também criou critério para empréstimo de livros baseado na autopromoção; ou seja, à medida que se mostra bom leitor – lê realmente, comporta-se bem na biblioteca e cuida dos livros que lhe são emprestados –, o aluno é promovido a Estrela – o que depende exclusivamente do próprio leitor.

O aluno-estrela tem “regalias” como escolher qualquer livro que desejar, inclusive na Prateleira das Estrelas, e participar de atividades festivas que são exclusivas para os alunos. O objetivo é mostrar-lhe e aos alunos que não foram promovidos que são capazes de escolher, na biblioteca e na vida, se querem brilhar e destacar-se, ou não.

A escola proporciona diferentes atrações trimestrais promovidas em dia chamado Dia das Estrelas com atividades exclusivas para os alunos promovidos a Estrela. O espaço da biblioteca é decorado com placas luminosas confeccionadas com material reciclável, lâmpadas natalinas e tecido vermelho para simbolizar tapete. São apresentadas contação de histórias, dramatizações e músicas  tocadas ou cantadas por alunos ou funcionários da escola para tornar o espaço dinâmico e divertido. Assim, a unidade escolar pretende instigar os alunos que, não promovidos, não podem participar das festividades a tornar-se Estrelas nas próximas celebrações.

De acordo com a diretora da escola Simone Maia, o importante é que os alunos se sentiram valorizados. “Há mudança significativamente positiva de postura por parte dos alunos; e hoje sabem que podem, sim, encontrar prazer na leitura. A biblioteca escolar, hoje, é referência entre as bibliotecas da cidade”, salientou.

A iniciativa da bibliotecária foi reconhecida com curso que ministrou na biblioteca da escola para os funcionários de bibliotecas municipais, ensinando como aplicar o Projeto das Estrelas com eficiência e a informatizar a biblioteca  gratuitamente por meio do programa Biblivre. Hoje, escolas municipais e estaduais já aplicam o Projeto das Estrelas nas bibliotecas.               

A Escola Municipal João Severino de Azevedo atende aproximadamente 600 alunos, divididos em três turnos, do 1º ao 9º ano e da educação de jovens e adultos. Está localizada na Rua Joaquim Manoel Pereira, nº 920, no bairro Davanuze. A atual administração é formada por diretora Simone Dioracy Maia e vice-diretoras Fernanda Marques Tavares e Leila Shynaida Rodrigues. A diretora pedagógica é Olívia Joana Rodrigues Gonçalves. 

Veja também
Comentários *Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. comentarios
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com