Divinópolis se despede de Dona Adelci, mas empresária deixa legado eternizado na radiodifusão

Postado em 26/06/2020 15:35

“Dona Adelci” como era carinhosamente chamada pelas pessoas, faz parte da história e da construção do Rádio no Centro-Oeste de Minas. Adelci Mattar tinha 88 anos. Ela estava internada no Centro de Tratamento Intensivo no Hospital São João de Deus (HSJD), em Divinópolis, desde o dia 24 de junho onde tentava se recuperar de um Acidente Vascular Cerebral. Ela não resistiu e morreu na manhã desta sexta-feira, 26.

Ao lado do ex-marido Mayrinck Pinto de Aguiar, Dona Adelci Mattar começou a sua trajetória como radiodifusora. Em abril de 1.961, ela e o marido em acordo com o Coronel Jovelino Rabelo, fundador da Rádio Cultura de Divinópolis, LTDA, propôs uma sociedade na rádio. Assim, ela passou a administrar a emissora fundada em 1.946.

Predestinada a construir a história da comunicação em Divinópolis ela não parou por ai. No ano de 1.980, Dona Adelci inaugurou ao lado do Mayrinck a primeira rádio FM do Centro-Oeste, a Rádio Castelo Branco LTDA, hoje 94 Live. Após um longo período de adaptações, fundou mais uma emissora a Rádio Brasileira de Divinópolis LTDA, a popular Nova Sertaneja.

O legado continuou. A chegada da migração um avanço no rádio brasileiro, fez a tradicional Minas AM dar espaço para Minas FM e nasceu aí a quarta Rádio do Grupo MPA de Comunicação a Antena 1. Ao lado do filho Mayrinck Pinto de Aguiar Junior e do neto Gustavo Mourão se manteve até os dias atuais na administração financeira das emissoras.

Migração do AM para o FM foi o último grande ato público realizado por Adelci Mattar

A Migração do AM para o FM foi o último grande ato público realizado por Adelci. No dia 06 de dezembro de 2018, Adelci e o filho Mayrinck Junior realizaram o ato simbólico de desligamento do transmissor de amplitude modulada da Rádio Cultura, atual Minas FM. Teve inicio a nova fase da comunicação do país.

O projeto de migração autorizado pelo governo federal e implantado em Divinópolis atende um anseio antigo dos radiodifusores. O FM hoje está presente em todos os aplicativos digitais. Poder migrar o AM para o FM era uma forma de aumentar competitividade das rádios e oferecer uma nova tecnologia aos ouvintes.

Dona Adelci teve a oportunidade de viver e participar de todas as fases do rádio no pais. Desde a criação, a época de ouro e o novo momento tecnológico. A contribuição dela na construção desta história é resgata todos os dias com informação e música.

 

Veja também
Comentários *Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. comentarios
error: Este conteúdo é protegido!