No Cruzeiro, Dedé não se opõe a jogar a Série B.

Postado em 28/04/2020 12:09

Dedé é carta fora do baralho no Cruzeiro ou ainda será aproveitado ao longo desta temporada? Fora de combate desde outubro por conta de uma lesão no joelho direito, o zagueiro ainda não sabe qual será o futuro profissional dele.

Em entrevista o jogador foi questionado sobre a possibilidade de vestir a camisa do Cruzeiro na Série B. Segundo Dedé, o rebaixamento não é impeditivo. Ele ainda cita que que a Raposa tem mais títulos que alguns times de São Paulo e do Rio e lembra que, para o clube ser zoado em Minas, seria necessário o rival “fazer muita coisa”.

“Não tem definição nenhuma e não teria problema nenhum (de jogar a Série B). Eu surgi para o futebol vindo da Série B e joguei cinco jogos, foi um sonho realizado. Não é porque eu cheguei na Seleção que eu não posso defender o clube que está no meu coração e está vivendo um momento de dificuldade, não tenho problema nenhum. O Cruzeiro, por mais que ele esteja na Série B, é um gigante do futebol brasileiro, no cenário nacional e mundial”.

“A gente chega em Minas, tem a rivalidade, os caras zombam, mas eu acho que para zoar o Cruzeiro tem que fazer muita coisa para chegar perto do Cruzeiro. O Cruzeiro tem mais títulos que alguns times do eixo Rio-São Paulo e é um time espetacular de trabalhar. Jamais deixaria de jogar uma Série B e deixaria de defender um clube como o Cruzeiro”

Dedé, atualmente, se recupera da cirurgia com profissionais particulares, no Rio de Janeiro. A permanência dele na Toca, em determinado momento, foi tida como improvável.

E o momento financeiro do clube também foi um dos questionamentos ao zagueiro. Dedé disse que o Cruzeiro passa por uma situação resultante de “uma carga de muitos anos”, mas garantiu que o extra-campo não influencia no rendimento dentro das quatro linhas.

“Está difícil lá para o Cruzeiro, a situação financeira, as desorganizações que causaram isso e sobrecarregou muito. Infelizmente, o torcedor sofre muito com essa situação, foi uma carga de muitos anos que o Cruzeiro teve para que essa situação de rebaixamento acontecesse. Mas, em mim, dentro de campo, nada interfere, nem financeiro, nem nada, nunca tive problema em relação a isso, tanto que eu estou a tanto tempo ser receber e me dediquei ao máximo ao Cruzeiro para tentar conquistar os meus objetivos”.

Segundo Dedé, este ano, mesmo sem firmar acordo com a diretoria, ele está recebendo 78% a menos do que estava previsto no contrato dele, quando fez a última renovação. Este ano, mesmo no departamento, ele chegou a ser procurado pelo Atlético, mas as negociações não evoluíram. O zagueiro de 32 anos tem contrato com o Cruzeiro até o fim de 2021.

Veja também
Comentários *Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. comentarios
error: Este conteúdo é protegido!