Publicidade

Guarani terá chapa única e reunião para volta do modulo ll do Campeonato Mineiro

Postado em 04/08/2020 12:52

O prazo final para registro de chapas para as eleições do Guarani encerraram na última sexta feira (31). Foram registradas duas chapas, uma pleiteando o cargo do Conselho Diretor e outra para o conselho Deliberativo. Como houve uma chapa para cada um dos pleitos e ambas estando de acordo com as exigências do estatuto, serão aclamadas e empossadas neste mês de agosto.

Quem encabeça a chapa do conselho diretor é Nivaldo Batista, conhecido como Araújo. O ex-zagueiro do Bugre já ocupou o cargo de vice-presidente em 2010-2012.

Para o conselho deliberativo, o atual presidente Alessio Salomé terá mais um período de mandato. Desta vez seu Vice-presidente será Geraldo Martins. Geraldinho, como é conhecido, já presidiu o Guarani em outras oportunidades.

Conselho Diretor –
Presidente – Nivaldo Batista Silva
Vice-Presidente – Bruno Silva Quirino
Diretor Marketing – Maurício Mendonça
Diretor Base – Gilberto Lázaro Souto
Diretor Patrimônio – Marcelino Gonçalves Ferreira

Conselho Deliberativo –
Presidente: Alessio de Souza Salomé
Vice Presidente: Geraldo Martins
Secretário: Rodrigo Ferraz

Módulo II

Na tarde de ontem (03) houve um encontro on-line entre o Diretor de Competições da Federação Mineira de Futebol (FMF), Leonardo Barbosa, com os representantes dos clubes do módulo II. Na oportunidade, Leonardo mostrou aos clubes como está sendo o protocolo exigido pelo estado para realização do Módulo I e ficou acertado com clubes uma reunião oficial, dia 17 de agosto, para definir a data do retorno do Módulo II.

O Sr. Maurício Mendonça que compõe a chapa que assumirá o conselho diretor participou da mesma, junto com atual presidente Vinicius Morais.

A grande dificuldade para voltar o Módulo II é o atendimento aos protocolos. “Apenas aqueles que servirão como atendimento dos jogos estão hoje orçados em 8 mil por partida, além dos que devem ser seguidos para retorno dos treinamentos. Não podemos esquecer dos processos de logísticas que irão encarecer devido as necessidade de antecipação de concentração e viagens, além das desinfecções que deverão ser feitas nos estádios, entre outros”, comenta o presidente. Para ele, uma data mais longínqua seria melhor para os clubes, já que dará mais tempo de preparação e até mesmo com uma melhora nos números da pandemia os protocolos sejam menos rigorosos. “Vale lembrar que o Módulo II ganhou um fôlego para terminar, considerando que em 2021 os estaduais devem acontecer somente em Março”, esclarece Vinícius.

Comente! *Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Publicidade
Veja também
Publicidade

Noticias relevantes:

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
error: Este conteúdo é protegido!