Grupo de conselheiros pede afastamento da diretoria do Cruzeiro

Postado em 01/06/2019 12:27

O grupo ‘Pró Cruzeiro Transparente’, formado por 117 conselheiros – entre suplentes, associados, natos e beneméritos –, encaminhou, nesta sexta-feira, carta ao presidente do Conselho Deliberativo, Zezé Perrella. No documento, eles pedem o afastamento imediato do presidente do clube, Wagner Pires de Sá, do vice de futebol, Itair Machado, e do diretor-geral, Sérgio Nonato, em função das recentes denúncias apresentadas pelo Fantástico, da TV Globo.

De acordo com a carta, existem “fortes indícios de posturas em desconformidade com as normas do Cruzeiro”. Para o pedido de afastamento, eles se baseiam no Artigo 30, inciso III, do Estatuto do clube. “Será afastado imediatamente e se tornará inelegível, pelo período de no mínimo 5 (cinco) anos, o dirigente ou administrador que praticar o ato de gestão irregular ou temerária”, diz.
 
O grupo joga a responsabilidade para o presidente do Conselho Deliberativo. “Está nas suas mãos a decisão de evitar uma tragédia, onde três pessoas prejudicarão nove milhões de torcedores e um clube inocente. Nós, e acreditamos, o senhor, não aceitaremos entrar para a história do Cruzeiro Esporte Clube como o Conselho Deliberativo que se encolheu, se acovardou e foi subserviente a destruição da instituição”, afirma outro trecho da carta.
 
Na lista dos signatários da carta, estão nomes de figuras tradicionais da política do Cruzeiro, como o ex-presidente Gilvan de Pinho Tavares, o ex-vice-presidenteBiagio Peluso e o ex-presidente do Conselho Deliberativo, José Ramos. Além deles, novas lideranças também assinam o manifesto, como o candidato derrotado nas últimas eleições do clube, Sérgio Santos Rodrigues. Integrantes do Conselho Fiscal que pediram renúncia neste mês, como Celso Luiz Chimbida e Geraldo Luiz Brinati, são outros signatários.
 
Ao Presidente do Conselho Deliberativo do Cruzeiro Esporte Clube
 
A/C Sr. Zezé Perrella 
 
Sufocados por tamanha indignação provocada pelas denúncias gravíssimas que envolvem os principais dirigentes da atual diretoria do Cruzeiro Esporte Clube, viemos lhe trazer uma imperiosa petição oficial.
 
Os indiscutíveis fatos – no mínimo – com fortes indícios de posturas em desconformidade com as normas do Cruzeiro Esporte Clube, estão a provocar um efeito colateral devastador, a sangria da imagem de um clube à beira de completar 100 anos de história. História essa, que até então, não possuía sequer um capítulo ligado a investigações policiais.
 
O tempo passa e estamos assistindo de forma omissa o escudo do Cruzeiro, o amor de sua torcida, a confiança de seus patrocinadores, a entrega de seu elenco e a vida honesta dos demais funcionários da Casa, tudo isso ser usado, aparentemente, como mecanismo de isolamento dos acusados das questões que precisam explicar. Com essa prática, tida como inadequada, há a colocação da instituição como inerte diante dos fatos narrados nos veículos de comunicação. Esse modus operandi, essa negativa em se afastarem voluntariamente para se defenderem sem prejudicar o clube, está causando um prejuízo mensurável de investimentos e imensurável do ponto de vista institucional.
 
Não há sombra de dúvidas quanto ao fato do Cruzeiro Esporte Clube estar sendo VÍTIMA de uma gestão que não tem se portado com atenção aos regulamentos internos, e aos preceitos legais correlatos.
 
Isso já é motivo clarividente para o imediato afastamento dos responsáveis por essa sangria, por essa covardia em usar a torcida e a imagem do Cruzeiro como escudo. O nosso estatuto, no seu Artigo 30, inciso III, diz claramente: “Será afastado imediatamente e se tornará inelegível, pelo período de no mínimo 5 (cinco) anos, o dirigente ou administrador que praticar o ato de gestão irregular ou temerária”.
 
Portanto, presidente Zezé Perrella, com firmeza, peticionamos: aplique o que manda o estatuto e encaminhe o afastamento de Wagner Pires de Sá e, consequentemente, de seus contratados Itair Machado e Sérgio Nonato, alvos de todas as denúncias que assombram nosso clube. 
 
Está nas suas mãos a decisão de evitar uma tragédia, onde três pessoas prejudicarão nove milhões de torcedores e um clube inocente. Nós, e acreditamos, o senhor, não aceitaremos entrar para a história do Cruzeiro Esporte Clube como o Conselho Deliberativo que se encolheu, se acovardou e foi subserviente a destruição da instituição.
 
As gerações futuras das famílias de cruzeirenses, nas quais se incluem as nossas e a do senhor próprio, não nos perdoarão se o senhor permitir esse desfecho terrível para a nossa história.
Belo Horizonte, 31 de maio de 2019
 
Grupo Pró Cruzeiro Transparente 
 

Veja também
Comentários *Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. comentarios
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
error: Este conteúdo é protegido!