Fim da Era Cruzeiro? Em mais um episódio a equipe do Cruzeiro não espanta o fantasma das derrotas e vê crise aumentar

Postado em 26/05/2019 20:51

Resumo do Primeiro Tempo: O jogo se iniciou com uma pressão cruzeirense ofensiva, o time de Belo Horizonte buscava desesperadamente por um bom resultado uma vez que vinha de grandes derrotas pelo Campeonato Brasileiro, portanto a firmeza a qual o time cruzeirense avançava era válida desse significado, a pressão iniciou-se ao longo dos primeiros minutos e se estendia bem até os primeiros dez minutos. O Cruzeiro descia pela esquerda muitas das vezes. Marquinhos Gabriel era um grande representante da raposa por esse flanco, o que muitas das vezes trazia um perigo eminente contra a Chapecoense. Porém o time do Cruzeiro elevou-se a um susto único uma vez que aos onze minutos fora ameaçado com toda a pressão da Chapecoense que resvalou contra a trave do gol de Fábio. Rildo tabela com Everaldo e sai sozinho na cara do gol. O chute desvia no pé de Fábio e acerta a trave. Quase o primeiro gol do jogo. O jogo até então era extremamente corrido, porém sem qualquer tipo de organização, o Cruzeiro por mais que possuísse posse de bola não conseguia organizar um contra-ataque efetivo, o que fazia com que a troca de passes fosse extremamente precipitada, o Cruzeiro até então não conseguia encontrar uma boa tabela para trabalhar suas jogadas. 

O Cruzeiro troca passes, mas a Chape fecha a casinha e dificulta o trabalho dos meias adversários. Assim sendo o Cruzeiro não conseguia avançar de modo válido para adentro do campo adversário, o que complicava ainda mais a situação do time de Belo Horizonte. A presença da Raposa era maior do que a da Chapecoense, porém o Cruzeiro parecia um tanto desesperado na estética de seu jogo, não sabendo adequadamente construir uma formação tática que pudesse abrir o marcador, por mais que fosse quase que absoluta seu domínio de jogo. Portanto o jogo começava a ficar um tanto ”amarrado” por ambas as equipes, a Chapecoense muitas das vezes se colocava para realizar um sistema defensivo que pudesse anular a presença do Cruzeiro. 

O jogo se pesava a cada novo instante, a pressão era provinda de ambas as equipes, o Cruzeiro por mais que tivesse consigo uma supremacia de jogo, via dificuldades de avançar, não conseguindo então quebrar a defesa da Chapecoense que surpreendia vez ou outra em seus contra-ataques. Portanto era possível ver que o primeiro tempo havia sido marcado por uma pressão desenfreada por uma correria provinda de ambas as equipes. Após o apito final do Primeiro Tempo a torcida cruzeirense iniciou uma vaia contra o próprio time. 

Resumo do Segundo Tempo: O Cruzeiro voltou forte e com velocidade para o Segundo Tempo, abrindo-se mais pelas laterais para conseguir um avanço de imediato contra o time da Chapecoense, porém o resultado parecia extremamente incerto, a pressão da Raposa era total já nos primeiros minutos, em um lance do Cruzeiro, Fred acerta a trave de Tiepo. Robinho pega a sobra e chuta, mas Gum salva a Chape em cima da linha, salvando a vida da Chapecoense, não demorou muito para que a Chape ampliasse; Elicarlos arrisca de longe, Fábio dá rebote, e Rildo, ligado, pega a sobra. Ele ainda dribla o goleiro antes de mandar para as redes. Porém em uma curta passagem de tempo Thiago Neves pelo lado direito mandou a bola sobre o ”v” das redes do goleiro da Chapecoense, empatando o jogo em 1 x 1.

O jogo se tornou outro após o empate… A Chapecoense pareceu acordar e correr atrás do prejuízo, porém o Cruzeiro não ficou atrás, o que deixava crer que o jogo seria extremamente difícil e disputado até o último minuto, assim sendo era tudo quanto incerto diante um favoritismo para uma equipe em questão já que o jogo se via equilibrado. 

Todo o Cruzeiro ia para cima da Chapecoense na busca de procurar o resultado, isso ao longos dos 30 minutos de jogo, porém a complicação era extrema. Mesmo sufocando o Cruzeiro não conseguia equilibrar-se na partida, o que fazia com que seu efetivo de jogo ficasse um tanto ”à desejar”. O jogo tornou-se desesperador para o Cruzeiro que entregava a propaganda de um jogo; ”Tudo ou Nada”.

Abrindo-se por inteiro o Cruzeiro então viu a Chapecoense crescer diante de si, então Everaldo encontra Aylon, que tenta o chapéu, mas a bola fica para Diego Torres, que cabeceia. A bola vai sem muita força, mas no canto do gol de Fábio, que não alcança. Aumentando o placar para 2 x 1 contra o Cruzeiro, fazendo com que a crise fosse extensa sobre o Cruzeiro. O jogo então chegava ao seu final, minutos após.

Acompanhe como foi esse Abre o Jogo e Jornada Esportiva:

Veja também
Comentários *Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. comentarios
WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com