Em momentos conturbados, São Paulo e Cruzeiro se enfrentam por “paz”

Postado em 02/06/2019 15:06

Dois times longe de seus melhores dias e a fim de reencontrar o caminho das vitórias. É nesse cenário que encontram-se São Paulo e Cruzeiro, adversários neste domingo, às 16h (de Brasília), no Estádio do Pacaembu, pela sétima rodada do Campeonato Brasileiro. Enquanto o time de Cuca busca se recuperar da série negativa, os comandados de Mano Menezes tentam salvar os pontos deixados pelo caminho nas primeiras partidas.

Eliminado nas oitavas de final da Copa do Brasil para o Bahia na última quarta-feira, em Salvador, com uma nova derrota, o São Paulo terá uma missão um tanto complicada para dar fim a série de quatro jogos sem vencer. Isso porque, além dos resultados negativos,o Tricolor não marcou gols em nenhum dos últimos embates que saiu de campo sem o resultado positivo.

Dentro das quatro linhas, Cuca também terá muitos problemas para escalar o time. Isso porque o técnico segue sem poder contar com os lesionados Pablo (lesão na região cervical), Liziero (entorse grave no tornozelo direito) e Rojas (ruptura do tendão patelar do joelho direito). Além disso, Antony (Seleção Olímpica) e Arboleda (Equador) seguem à serviço de suas seleções. Everton, por sua vez, sofreu uma concussão contra os baianos e também será desfalque.

Nem tudo, no entanto, são más notícias. Toró, que cumpriu suspensão no clássico contra o Corinthians, volta a ser opção. Outra novidade pode ser o retorno de Luan, que sofreu uma pancada no tornozelo direito antes do Majestoso e desde então não atua. Com a ausência de Arboleda, Walce e Anderson Martins são as alternativas para o setor defensivo.

Como se não bastasse os maus resultados dentro de campo, o Tricolor ainda vive um ambiente conturbado fora das quatro linhas. Após a eliminação para o Bahia, os muros do entorno do Morumbi amanheceram pichados com cobranças ao elenco e parte da diretoria. No desembarque do time em São Paulo vindo de Salvador, um torcedor, que protestava contra a fase do time, foi empurrado por seguranças.

“É difícil, não quero passar a responsabilidade para ninguém de nada do que está acontecendo. Eu estaria tirando o peso de mim e passando para os outros. Vamos com calma, administrar tudo isso e assumir a responsabilidade”, disse Cuca sobre a falta de eficiência ofensiva do São Paulo.

O Cruzeiro chega para a partida contra o São Paulo após viver um dos piores momentos de sua quase centenária história. Escândalos fora das quatro linhas, denuncias, contratos irregulares e investigação da Polícia Civil de Minas Gerais fizeram com que o escudo da agremiação saísse das páginas de esporte e fosse visto também nas policiais.

No último domingo, no programa Fantástico, uma grave denuncia atingiu em cheio os membros da diretoria do Cruzeiro. Foram apontadas irregularidades em contratos, situações proibidas junto a Fifa e CBF, como repasses de atletas para um empresário e até uma criança de 11 anos, que nem contrato assinado tem, teve parte de seus “direitos” cedidos.

No dia seguinte, o Cruzeiro foi a público se manifestar. Em uma longa coletiva, o clube falou sobre os temas da reportagem e explicou que não liberou os jogadores ao empresário com quem o clube tinha uma dívida de R$ 2 milhões, mas só deu como garantia. Questionamentos aconteceram, como por exemplo: “Como dar algo que não é seu em garantia?”, pergunta óbvia sobre o garoto de 11 anos envolvido na polêmica, afinal, o jovem não tem contrato. Ao invés de melhorar a situação, piorou: o vice-presidente Itair Machado ameaçou um repórter: “Você vai ver, tenho muita coisa ‘suas’”.

Os dias seguintes à matéria exibida na TV Globo geraram várias repercussões. O conselho deliberativo do clube se rachou: 111 fizeram um manifesto pedindo mais transparência no clube. Outros foram convidados pela diretoria que buscava apoio.

O Presidente do Conselho, Zezé Perrella, por sua vez, montou uma comissão para apurar as irregularidades. Em áudio vazado pelo WhatsApp e obtido pela reportagem da Gazeta Esportiva lamentou que a documentação tenha sido entregue para a reportagem da emissora de televisão e não para ele.

Dentro de campo, Mano Menezes tem vários desafios. O primeiro deles é não permitir interferência do momento atingir o gramado. A situação dentro das quatro linhas também não anda nada boa. No último domingo, por exemplo, a Chapecoense, em Belo Horizonte, bateu o time celeste por 2 a 1. O time azul tem seis pontos, na 16ª colocação do Campeonato Brasileiro, na porta da zona de rebaixamento, separado do CSA apenas pelos critérios de desempate.

.
Partida que você ouve na Minas FM, com a melhor equipe de esportes do Centro-Oeste. Vem pelos 104.1 fm / www.radiomiansfm.com.br.
 
 
Fonte: ESPN.com

Veja também
Comentários *Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. comentarios
WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com