Publicidade

Cruzeiro tenta acordo para poder registrar atletas.

Postado em 04/01/2021 12:22

O Cruzeiro estabeleceu que irá atrás de cinco reforços, pelo menos, para a temporada 2021. Mas, para concretizar as negociações, o clube mineiro precisará superar a punição imposta pela CNRD sobre o imbróglio envolvendo o repasse de parte do valor da venda do zagueiro Bruno Viana ao Olympiacos, da Grécia, em 2016, ao PSTC-PR.

O presidente da Raposa, Sérgio Santos Rodrigues, informou que o clube questiona o foro utilizado pelo PSTC para cobrar o valor (R$ 1,3 milhão). Ao mesmo tempo, de acordo com o dirigente, o clube tenta um acordo.

“A CNRD… Até estive na CBF, publiquei nas redes sociais, para tentar resolver a situação específica do PSTC. Até porque, estamos discutindo a cláusula de foro, porque a gente tinha um contrato especificando que qualquer coisa oriunda deveria ser discutida no foro de Belo Horizonte, e não na CNRD. Mas estamos buscando acordo para resolver da melhor forma. O nosso problema é aquilo, fluxo de caixa, e o PSTC aceitar alguma proposta nossa que possa se encaixar no nosso fluxo de caixa”.

Na demonstração financeira dos primeiros cinco meses de 2020, o Cruzeiro informou que recebeu condenação da CNRD, com ordem de pagamento de R$ 1,3 milhão ao PSTC, do Paraná, valor referente a 20% da venda do zagueiro Bruno Viana ao Olympiacos, da Grécia, em 2017. A condenação ocorreu em março do ano passado.

O Cruzeiro apontou, na última semana, que pagou mais de R$ 32 milhões entre acordos com clubes e condenações, conseguindo uma redução de R$ 105 milhões no débito total com clubes estrangeiros.

Neste momento, o clube mineiro aguarda ordens de pagamento referentes aos casos envolvendo o Defensor, do Uruguai (compra de Arrascaeta) e o Mazatlán (antigo Morelia, do México, na compra de Riascos). Mas também tenta acordos.

A cobrança inicial por Riascos é de R$ 6 milhões e a de Arrascaeta, R$ 7,2 milhões. Há ainda a situação do volante Denílson e o Al Wahda, dos Emirados Árabes. Por ela, o clube já foi punido com a perda de seis pontos, mas ainda precisa pagar o valor de aproximadamente R$ 5 milhões.

Comente! *Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Publicidade
Veja também
Publicidade

Noticias relevantes:

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
error: Este conteúdo é protegido!