Publicidade

Cruzeiro se despede de BH com empate sem gols e também salva o Naútico

Postado em 24/01/2021 18:15

Raposa atuou por praticamente todo o jogo com um jogador a menos, já que Fábio foi expulso aos 9 minutos da etapa inicial

Com um a menos praticamente por todo o jogo, o Cruzeiro não saiu do 0 a 0 no placar com o Náutico, em jogo disputado na tarde deste domingo (24), no Independência, pela 37ª rodada da Série B. Para a Raposa foi um jogo equlibrado, onde a defesa se postou bem e também não foi tão pressionada. Na verdade, tudo que o Náutico queria mesmo era um pontinho para se garantir matematicamente na próxima Série B. E foi exatamente isso que aconteceu. Um jogo tranquilo, quase de ‘cumpadres’ e que desde o início dava toda cara de que o zero realmente não saíria do placar. 

Com o empate, o Cruzeiro chegou aos 48 pontos e é o 12 colocado. Já o Náutico chegou aos 43, na 15ª posição, e não pode mais ser alcançado por Paraná e Figueirense, equipes que atualmente ocupam a zona de rebaixamento. O Cruzeiro se despediu de BH com uma campanha de seis vitórias, sete empates e seis derrotas, foram 25 pontos em 57 pontos possíveis. Mais uma temporada que o clube registrou mais empates e derrotas em casa do que vitórias. 

Advertisement

O jogo

A situação do Cruzeiro ficou difícil logo no início do jogo, quando aos nove minutos, o goleiro Fábio foi expulso de campo após impedir um avanço de Kieza tocando com a mão na bola fora da área. Após alguns minutos de paralisação, o juiz Flávio Rodrigues de Souza decidiu dar o vermelho ao camisa 1 por orientação do quarto árbitro Gabriel Murta Barbosa Maciel. Foi a primeira expulsão de Fábio vestindo a camisa do Cruzeiro em 922 partidas. 

Muita reclamação aconteceu, mas Felipão teve que aceitar o fardo. Promoveu uma alteração até curiosa, sacando justamente Rafael Sóbis, o craque do time no momento, para promover a entrada do goleiro Victor Eudes. 

Com um a menos, o Cruzeiro não comprometeu muito durante praticamente todo o jogo. A marcação se postou bem, evitando jogadas mais agudas do time pernambucano. Talvez o lance mais incisivo do Timbu foi uma bola na trave de Vinicius, aos 15 minutos da etapa final. Na verdade, ter um homem a mais para o Náutico foi a chave para controlar melhor a partida, tendo a posse de bola. 

O Cruzeiro, por sua vez, teve algumas chegadas mais agudas com Pottker e alguns chutes de longa distância, dentre eles uma pancada de Giovanni que passou perto do travessão de Anderson. Ramon também assustou a meta do Timbu com a tradicional jogada aérea da Raposa. Porém, conforme o tempo foi passando, mais evidente ficou a vontade de que o resultado estava bom demais para todo mundo. E foi assim que o jogo acabou. 

Próximo jogo 

O Cruzeiro se despede da temporada na próxima sexta-feira (29), às 21h30, quando vai até Curitiba encarar o Paraná, no Durival Britto. Já o Náutico recebe o CSA, nos Aflitos, também na mesma data e no mesmo horário. 

fonte: www.otempo.com.br

Comente! *Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Publicidade
Veja também
Publicidade
Publicidade
Publicidade
plataforma ead
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
error: Este conteúdo é protegido!