Publicidade

Cruzeiro não voltará a série A porque não conseguiu vencer os confrontos diretos.

Postado em 23/12/2020 12:47

O Cruzeiro melhorou com Felipão. Conseguiu ser um time mais seguro defensivamente e passou a perder menos pontos do que perdia com Enderson Moreira e Ney Franco. Por isso, inclusive, conseguiu abrir certa distância para o Z-4. Mas não conseguiu se livrar dessa briga e focar de vez no sonho do acesso por conta de tropeços contra equipes que também brigam por uma vaga entre os quatro.

Das sete vitórias que o time conseguiu sob comando de Luiz Felipe Scolari, cinco foram contra equipes que estavam, naquele momento, em uma luta voltada para a parte de baixo da tabela: Operário-PR, Paraná, Botafogo-SP, Brasil de Pelotas e Vitória. Resultados importantíssimos, já que o treinador assumiu para tirar o time da briga contra o rebaixamento.

Os outros dois triunfos foram contra Chapecoense e América, times que lutam na parte de cima da tabela, onde o Cruzeiro sempre sonhou estar e onde, em algumas rodadas com Felipão, considerou possível estar. Acontece que esses dois times já desgarram do pelotão G-4 e lutam entre si pelo título. A Chape é líder, com 59, e o Coelho é vice, com 57. O CSA, 5º colocado, tem 48.

Por ter assumido o Cruzeiro na 17ª rodada e ter, por consequência, 22 jogos à frente da equipe na competição, o treinador teria, também, a possibilidade de tirar pontos de quem briga efetivamente por uma das vagas no G-4. Não tem conseguido.

Em casa, perdeu para o Confiança (que estava acima dele na tabela no dia do confronto, mas está em queda, atualmente) e empatou com Guarani e CSA. O time campineiro pode terminar a rodada a dois pontos do G-4, enquanto os alagoanos estão a apenas um. Detalhe é que os dois times também estão em campanha de recuperação.

Longe de casa, o Cruzeiro deixou escapar pontos contra o Avaí e Ponte Preta, em jogos que saiu na frente, era pouco incomodado, mas também não atacava. Foi “castigado” defensivamente. Somando esses cinco jogos, foram 12 pontos deixados pelo caminho em confrontos que poderiam deixar mais palpável a briga pelo acesso.

Agora, o foco maior volta realmente a ser a zona de rebaixamento. Em caso de vitória do Paraná, o Cruzeiro encerrará a 31ª rodada a apenas cinco pontos do grupo dos quatro últimos. Hoje, a distância é de oito.

Comente! *Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Publicidade
Veja também
Publicidade

Noticias relevantes:

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
error: Este conteúdo é protegido!