Cruzeiro é pressionado do início ao fim e perde pro Fluminense na Copa do Brasil - Portal MPA

Publicidade

Cruzeiro é pressionado do início ao fim e perde pro Fluminense na Copa do Brasil

Postado em 23/06/2022 21:12
Publicidade

Para se classificar às quartas de final, o clube mineiro precisa vencer por dois gols de diferença; vitória simples leva aos pênaltis

Durante a temporada de 2022, o Cruzeiro nunca foi tão pressionado por uma equipe como para o Fluminense na noite desta quinta-feira (23). O esquema de três zagueiros não conseguiu sustentar o ímpeto dos adversários por fazer gols, e a Raposa perdeu por 2 a 1, em jogo válido pela ida das oitavas de final da Copa do Brasil.

O Fluminense abriu o placar aos 45 minutos, com o zagueiro Manoel, que até pouco tempo usava azul no uniforme. O Cruzeiro empatou com Lucas Oliveira, no último lance da etapa inicial. Aos 10 do segundo tempo, Cano, o homem gol das Laranjeiras, fez o segundo dos mandantes e selou o triunfo.

Visto a partida, que ainda contou com a expulsão de Geovane ainda no primeiro tempo, o prejuízo poderia ter sido maior. Analisando o futebol que o Cruzeiro apresenta nesta temporada, inteligência de Pezzolano, empurrão da torcida e uma classificação nos pênaltis contra o Remo na terceira fase, uma vaga nas quartas de final é bem possível.

O jogo de volta está marcado para acontecer no dia 12 de julho, uma terça-feira, às 21h, em Belo Horizonte. Como vem acontecendo nos jogos tanto da Copa do Brasil quanto do Brasileirão Série B, a expectativa é de Mineirão lotado.

Enquanto o confronto não chega, o Cruzeiro tem como próximo compromisso o Sport, na terça-feira (28), às 21h30, no Gigante da Pampulha. Já o Tricolor tem o clássico contra o Botafogo, domingo (26), às 16, no estádio Nilton Santos, pela Série A.

O jogo

Defesa contra ataque. Não só o início do jogo, mas todo o primeiro tempo foi assim. Foram 51 minutos angustiantes para o torcedor do Cruzeiro, que via o seu time não conseguir passar do meio de campo e o adversário com chances de gol a cada instante. Logo no segundo minuto, o primeiro susto: o principal atacante do Fluminense, Gérman Cano, recebeu bola na área e chutou para o gol, mas o lateral-esquerdo Matheus Bidu tirou  bola em cima da linha.

O lance demonstrou o que estava por vir. Ganso distribuindo bolas no meio, Jhon Arias e Luiz Henrique em jogadas de velocidade pelas pontas e o argentino aguardando as melhores oportunidades no centro, além de outros jogadores que vinham de trás. Aos 17 minutos, a bola balançou as redes do goleiro Rafael Cabral pela primeira vez, após cruzamento de Arias, mas, após análise do VAR, viu-se que o colombiano estava impedido.

O susto não serviu para mudar a partida. A Raposa tentava sair jogando, principalmente pelo meio, com Willian Oliveira e Filipe Machado, mas os tricolores quase sempre recuperavam. Os atacante Edu e Rodolfo pouco conseguiam fazer para levar perigo a Fábio. Destaque para Cabral, que salvava lá atrás. Por volta dos 40 minutos, a situação piorou.

O lateral-direito Geovane Jesus deu uma dura entrada no volante Nonato e recebeu cartão vermelho, novamente, com a intervenção do árbitro de vídeo, mesmo André Luiz de Freitas Castro estar em cima do lance. Aos 45, após cruzamento de Ganso, Manoel, que vestiu durante anos a camisa celeste, fez de cabeça.

Surpreendentemente, o Cruzeiro reagiu, mesmo sem ter por alguns minutos a posse de bola. Quando a etapa inicial se aproximava dos 45 minutos, o zagueiro Zé Ivaldo deu um chutão do meio campo, tentando pegar Fábio de surpresa. O goleiro parece ter perdido a referência, já que a bola iria para fora, e espalmou. Na cobrança de escanteio, Machado cobrou fechado e Lucas Oliveira marcou o gol de cabeça, levando o empate para o vestiário.

O segundo tempo começou como o primeiro. Pressão total do clube do Rio de Janeiro. Com a um a menos, Paulo Pezzolano fechou o time mais ainda, com foco em se defender e atacar em laces de velocidade (mas esse último sequer acontecia, visto que os jogadores do Cruzeiro mal conseguiam passar do meio e nem havia velocidade para isso).

Aos 10 minutos, cena quase repetida do gol anulado: Arias (que agora não estava impedido) recebeu a bola correndo, foi à linha de fundo e cruzou para Cano subir sozinho e fazer 2 a 1 para o Fluminense. A partir daí, o jogo não mudou.

Mesmo após a entrada de Vitor Leque, Edu era o único que permanência à frente o tempo todo. Visto a pressão, com direito a bola na trave, a derrota por apenas um gol de diferença não parecia ser um negócio tão ruim para o clube de Ronaldo Fenômeno, presente no Maracanã. Final, 2 a 1.

FICHA TÉCNICA

O quê: Fluminense x Cruzeiro

Quando: quinta-feira, 23 de julho de 2022, às 19h (de Brasília)

Motivo: ida das oitavas de final da Copa do Brasil

Onde: Maracanã, no Rio de Janeiro-RJ

Fluminense: Fábio; Samuel Xavier, Nino, Manoel e Caio Paulista; André, Nonato (Matheus Martins) e Paulo Henrique Ganso; Luiz Henrique, Jhon Arias e Germán Cano. Técnico: Fernando Diniz

Cruzeiro: Rafael Cabral; Zé Ivaldo (Pedrão), Lucas Oliveira e Eduardo Brock; Geovane Jesus, Willian Oliveira, Filipe Machado (Adriano), Fernando Canesin (Rafael Santos) e Matheus Bidu (Vitor Leque); Rodolfo (Rômulo) e Edu. Técnico: Paulo Pezzolano

Arbitragem: André Luiz de Freitas Castro (GO); Bruno Raphael Pires (GO) e Fabrício Vilarinho da Silva(GO). VAR: Daniel Nobre Bins (RS)

Gols: Manoel (45′ do 1ºT, para o FLU); Lucas Oliveira (51′ do 1º T, para o CRU); Cano (10′ do 2º T, para o FLU)

Cartões amarelos: Arias (FLU); Zé Ivaldo e Edu (CRU)

Cartão vermelho: Geovane Jesus

Fonte;www.otempo.com.br

Publicidade