fbpx
Pular para o conteúdo

Rascunhos da Vida: Sarau on-line.

Image
Retirado do Site: https://pt.freeimages.com/photo/brasil-nordeste-2-1427055

Ontem revi uma entrevista de Ariano Suassuna um grande pensador. Geralmente depois da morte recebemos títulos e louros então ele recebeu a titulação de dramaturgo, ensaísta político, poeta, romancista, professor, filósofo. Mas para mim ele foi um homem que percebeu na simplicidade do povo a noção da humanidade.

Atos 17

Retirado do Site: https://pt.freeimages.com/photo/brasil-nordeste-2-1427055

A reclusão por causa do COVID-19 nos faz ver uma explosão de novas demonstrações artísticas. Live e mais Live’s tem acontecido, de Roberto Carlos a Manoel Gomes (o carinha da caneta azul, que por sinal já deve ter encontrado a mesma, ou pelo menos comprado um monte). Do sertanejo universitário ao funk sem rimas e palavrões. Vivemos num mundo de Live’s, ou vivemos num mundo sem vidas.

Segundo a biologia para haver vida é necessário um ciclo. Para que haja um ciclo é necessário participar de uma série de mudanças ao longo da existência do ser vivente. É preciso de energia, e para obter energia torna-se necessário ser exposto ao risco (seja da caça ou da exposição ao sol), a exposição ao risco nos leva a estratégias de sobrevivência, tornando-se indispensável à promoção do pensamento e das ideias.

Por que ninguém ainda fez uma LIVE DE SARAU fora à autora Débora Menezes e os cordelistas de Caruaru? Então será que ninguém fez uma exposição de CORDEL no YouTube ou nas redes sociais em Divinópolis e região? Onde estão os nossos poetas, dramaturgos e pensadores que são participantes da Academia Divinopolitana de Letras? Que por não poder tomar o “chá das três” não se reúnem virtualmente para fazer uma exposição on-line das “Poesias do Confinamento”?

Paulo, o grande apóstolo dos gentios não desprezava o saber popular, antes, os comparava aos escritos das Sagradas Letras. Ele cita em sua defesa diante do Areópago os poetas gregos dizendo “pois deles somos geração”. A poesia, a música, a literatura amplia nosso pensamento, nos leva longe, nos liberta em dias de pandemia. Pois se não podemos ir ao “sertão nordestino” ele pode vir para nossa casa. Se não conseguimos ir à praia “a garota de Ipanema” pode desfilar dentro de nosso lar. Ao sermos impedidos de ir ao templo (e realmente estamos por decreto) podemos trazer o conhecimento de Deus às nossas reuniões familiares.

Sentar a mesa e ler a Bíblia, recitar uma poesia, cantar uma boa música, ouvir o som das cachoeiras nas travessias do meu “grande sertão veredas”. O que você tem feito de sua vida nesta quarentena de mais de quarenta dias? Tem visto apenas vídeos “idiotas”, séries sem informação, tem apenas assistido a noticiários macabros e tendenciosos ou tem buscado ler, ouvir, e meditar naquilo que edifica sua vida, sua família e seu coração?

Pense nisso, você não precisa ser um alienado para ser alguém que possui fé. Não precisa ser ateu para ter certeza de algo (se é que eles tem), não é preciso viver confinado em corpo e mente. Liberte-se, leia a Bíblia, leia os autores brasileiros ou os pensadores mundiais (quem já leu os contos alemães já se deliciou com as histórias de Hanau), leia fontes confiáveis. Declame poesias em casa, recite os salmos, ouça canções que preenchem a alma e possam edificar o espírito (uma boa pedida é o hinário “Novo Cântico” ou o “Cantor Cristão”), sente a mesa e tente não usar o celular. Viva a arte e aguarde a volta de Cristo e o “Sarau on-line” (se é que teremos o último).

Um grande e fraterno abraço!
Nos fraternos laços do amor de Cristo.

Rodrigo Fonseca Andrade
Um servo que aguarda a volta de Cristo intensamente e enquanto isso espera o Sarau on-line.

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

0
Would love your thoughts, please comment.x