Publicidade

Tratamento endovascular de aneurisma foi tema do ‘Amostra Grátis da Saúde’

Postado em 09/11/2020 7:24

Por Samuel do Valle

Um aneurisma é uma dilatação de uma artéria causada por enfraquecimento da sua parede, que pode ser um resultado de aterosclerose, infecção ou lesão da parede arterial. A aorta, maior vaso do corpo humano e que transporta o sangue do coração para o resto de seus órgãos é a uma artéria com grande casuística de casos de aneurisma.

Em Divinópolis os cirurgiões vasculares, Dr. Carlo Rachid Dellareti e Marco Aurélio Tanos de Lacerda, realizam o procedimento de correção cirúrgica já algum tempo. Eles participaram do Programa ‘Amostra Grátis da Saúde’ da TV Candides e contaram um pouco da experiência vivida.

O tratamento endovascular é um procedimento minimamente invasivo, onde é inserido uma endoprótese (um malha metálica tubular recoberta por um tecido impermeável) na área com o aneurisma, de modo que o sangue pode fluir no interior da endoprótese, fazendo com que o fluxo de sangue não passe mais na parte dilatada do vaso. “Este é um tratamento mais avançado que se tem hoje, da nossa especialidade vascular. Antigamente era necessário efetuar uma laparotomia (abrir a barriga do paciente) para chegar até o vaso e aborda-lo, associado a várias horas de cirurgia nesta situação. Com o tratamento endovascular, este procedimento é realizado com muito menos comorbidade, menos invasão e com resultados melhores do que com a cirurgia aberta, com um pós operatório tranquilo e menos complicações”, ressaltou Dr. Carlo Rachid Dellaretti.

A maioria dos pacientes não sofre problemas, e a ruptura do aneurisma é evitada. Dr. Marco Aurélio Tanos de Lacerda, lembra que na cirurgia convencional, o índice de óbito era mais de 20%. “Com este novo tratamento, com profissionais bem treinados, o índice de mortalidade caiu assustadoramente, não passando de 3%. É feito através de cateterismo, sem cortes e muito menos agressivo e com menor tempo de internação pós cirurgia. A tendência é o paciente ter uma recuperação extremamente mais rápida”, explicou o médico.

 

Silêncio perigoso

Aneurisma da aorta abdominal (AAA) também é conhecido como ‘o assassino silencioso’, porque, quando eles crescem e rompem, há um risco de 80-90% de morte imediata. “É uma patologia silenciosa e extremamente letal, muitos pacientes morrem antes de chegar ao hospital. As vezes permite uma dor na região lombar ou um desconforto, mas na sua grande maioria é uma doença silenciosa, que não apresenta grandes sintomas e que se constata por um exame de ultrassom abdominal”, detalhou Dr. Carlo.

O tratamento endovascular é recomendado como uma opção preventiva para evitar a ruptura do aneurisma e morte. “É uma dilatação de um vaso, que se não for tratada, se torna cada vez maior. A sua grande complicação é a ruptura onde apresenta uma alta taxa de mortalidade. Com o tratamento endovascular de aneurisma a endoprótese é inserida por meio de uma artéria na virilha do paciente, que sela o início do aneurisma. O que chamamos de saco aneurismático, não apresentará mais crescimento, ele é estabilizado, que por sua vez resolve as complicações que o paciente poderia vir a ter”, destacou Rachid Dellaretti.

 

Tamanho do aneurisma

Aneurisma acima de 5 cm, significa que o paciente vai precisar de tratamento para impedir que ele se rompa. O tratamento endovascular é uma opção segura e eficaz. “O aneurisma aparece devido ao enfraquecimento da parede daquele vaso sanguíneo que é uma artéria. A partir deste enfraquecimento ele vai dilatando cada vez mais, as custas de doenças como pressão alta, aterosclerose e tabagismo. Quando se tem um aneurisma menor que 5cm, a condução e acompanhar este paciente e controlar as comorbidades que poderiam aumentas este aneurisma. Uma vez ultrapassada a barreira dos 5cm. na grande maioria das vezes, a cirurgia apresenta melhor prognóstico do que o tratamento clínico, enfatizou Dr. Marco Aurélio O médico destaca que a medicina é sábia e conseguiu desenvolver esta técnica, que é fantástica, muito avançada. “É um tratamento de ponta que é feito nos grandes centros do mundo e que nós estamos habilitados para realiza-lo em Divinópolis, já algum tempo, na Cardiomix, que fica no 8º andar do Hospital Santa Lúcia. A endoprótese usada hoje é de alta tecnologia, última geração e apresenta excelentes resultados a longo prazo”, finalizou Tanos de Lacerda.

Comente! *Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Publicidade
Veja também
Publicidade

Noticias relevantes:

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
error: Este conteúdo é protegido!