Sem acordo vereadores suspendem votação sobre suspensão de contrato dos profissionais da educação

Postado em 05/05/2020 15:38

Os vereadores de Divinópolis se reuniram hoje, 05 em mais uma reunião extraordinária polêmica. Os parlamentares tiveram que discutir se acatam o decreto legislativo para suspender a decisão do município de suspender os contratos de trabalhadores temporários da rede municipal de ensino, os auxiliares da educação.

Na reunião extraordinária, os vereadores discutiram duas propostas do legislativo e sete do executivo, entre elas, a proposta de suspensão dos contratos de professores da rede municipal e auxiliares de educação enquanto as aulas estiverem suspensas por causa da pandemia. O vereador Edson Sousa apresentou outra proposta. O parlamentar sugeriu outro decreto, que impediria a suspensão dos contratos de trabalho.

O líder do governo na câmara, Eduardo Print júnior, explicou que a suspensão é uma forma de interromper o pagamento já que eles não estão trabalhando. Ainda segundo o vereador, mesmo com a suspensão dos contratos, há possibilidade que, num segundo instante, cerca de 60% dos profissionais possam ser chamados de volta.

Na reunião extraordinária, os vereadores não chegaram a um acordo e o vereador Edson Sousa pediu vista à votação do projeto. Ele disse que a discussão tem que ser mais ampla e deve envolver não só os vereadores, como os professores e os sindicatos. O prefeito de Divinópolis, Galileu Machado em entrevista concedida a Minas FM explicou que se o projeto do vereador for aprovado, o executivo terá que demitir os trabalhadores da educação.

Veja também
Comentários *Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. comentarios
error: Este conteúdo é protegido!