Em Busca da Dignidade: A fome que atinge famílias de Divinópolis - Portal MPA

Publicidade

Em Busca da Dignidade: A fome que atinge famílias de Divinópolis

Postado em 04/07/2022 21:07
Publicidade

Divinópolis, Minas Gerais. A maior cidade da região centro-oeste é também polo regional. Localizada em ponto estratégico, próximo à capital, a cidade contribuiu para o desenvolvimento do estado. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, o IBGE, em 2021 Divinópolis tinha população de 242.505 pessoas. Dados de 2019 mostram que o Produto Interno Bruto, o PIB per capita, que é soma de todos os bens e serviços produzidos na cidade era de R$ 28.667,89. Se de um lado a riqueza prevalece [….] Do outro, a dificuldade impera.

Bairro Jardim Copacana, terça-feira, três horas da tarde. A Vanessa prepara uma banana para o Rafael. Esse foi o lanche da tarde do bebê de três meses e dos outros quatro irmãos. Às vezes, a Vanessa prepara verduras e legumes para as crianças… Mas nem sempre tem hortaliças na geladeira.

A única fonte de renda da família vem do BPC, o Benefício de Prestação Continuada pago pelo governo federal. Com cerca de 1200 reais, a família tem que pagar as contas de luz e água e manter a alimentação. Além disso, o filho mais velho da Vanessa faz tratamento médico e é preciso dinheiro para comprar os medicamentos.

Mais de 33 milhões de pessoas não tem o que comer no Brasil. Os dados são do Segundo Inquérito Nacional Sobre Insegurança Alimentar Dentro do Contexto da Pandemia conduzido pela Rede PENSSAN. Em Divinópolis são 4.549 pessoas cadastradas no CadÚnico vivendo em situação de extrema pobreza com uma renda média inferior a 100 reais.

O levantamento de dados realizado pelo segundo inquérito nacional sobre insegurança alimentar apontou que em menos de um ano, 14 milhões de brasileiros entraram em situação de vulnerabilidade alimentar. Seis a cada dez pessoas tem a alimentação diária ainda incerta.

Em Divinópolis, o Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) acompanha a situação dessas famílias. O centro é a porta de entrada para acessar serviços assistenciais e se inscrever no cadastro único para programas sociais do governo federal.

A Vanessa continua vivendo de doações e a preocupação, agora, é com o futuro do bebê de apenas três meses. Quem puder auxiliar a família pode entrar em contato pelo telefone 37 – 98827-3880.

Em Busca da Dignidade: A família que vive com R$ 600 e não consegue pagar as contas

Publicidade