fbpx
Pular para o conteúdo
  • Home
  • Divinópolis
  • Entrevista: Prefeito responde críticas da Câmara Municipal e mostra ações da saúde no combate a dengue

Entrevista: Prefeito responde críticas da Câmara Municipal e mostra ações da saúde no combate a dengue

Image

O município de Divinópolis implantou, o ambulatório de dengue, nas instalações da Policlínica, que fica localizada na rua São Paulo nº 10, no Centro. A estrutura foi adaptada para atender exclusivamente pacientes com sintomas da doença. O ambulatório possui uma equipe composta por um médico, dois enfermeiros e três técnicos em enfermagem que fazem o atendimento médio de 50 a 60 pessoas por dia.

Cada paciente é classificado de acordo com o Manual Técnico de Manejo Clínico da Dengue do Ministério da Saúde. Pacientes na classificação de risco azul ou verde recebem atendimento no local e são orientados para que depois de seis dias a partir do início dos sintomas, façam uma visita à Unidade Básica de Saúde para realizar exames que podem comprovar ou não o diagnóstico de dengue.

Além do ambulatório, a cidade de Divinópolis intensificou nos últimos dias as ações de combate à doença. A secretaria montou um cronograma de atendimento do carro fumacê que vai visitar os pontos considerados críticos. Esse assunto foi tema do Quadro “Fala Prefeito”. Ao lado da diretora de vigilância, Erika Camargos, o prefeito Gleidson Azevedo (PSC) falou sobre ações importantes para diminuir os índices na cidade.

Na oportunidade o prefeito Gleidson ainda respondeu às críticas da Câmara Municipal. Na reunião desta quinta-feira, 16, os temas saúde e Copasa voltaram a ser foco de discussão. O presidente do Legislativo, Eduardo Print Junior (PSDB), questionou números e informações apresentados na audiência pública da saúde. Ele pediu por ofício uma resposta aos questionamentos.

Já o vereador Flávio Marra (PATRI) evidenciou mais uma vez as falhas na prestação de serviço da COPASA. O parlamentar cobrou envolvimento do deputado estadual Eduardo Azevedo (PSC) e do senador, Cleitinho Azevedo (PSC) para solucionar o problema.  Na entrevista o prefeito disse que as críticas são motivas por interesses políticos, já que a oposição se apresenta como pré-candidato para as eleições municipais.