Denuncia da educação mostra empresas com CNPJ diferente no mesmo endereço, ex-governador foi preso em esquema na Paraíba - Portal MPA

Publicidade

Denuncia da educação mostra empresas com CNPJ diferente no mesmo endereço, ex-governador foi preso em esquema na Paraíba

Postado em 02/05/2022 11:11
Publicidade

O ex-governador da Paraíba Ricardo Coutinho (PT) e mais 12 pessoas viraram réus, em mais uma denúncia no âmbito da Operação Calvário, após pedido formulado pelo Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público da Paraíba (MPPB), em setembro do ano passado. Os investigados são acusados de compartilhar um esquema de propina na Cruz Vermelha.

O ex-governador também é réu na investigação que apura desvio de recursos no setor da educação. A Investigação do Ministério Público mostra que várias prefeituras no apagar das luzes em 2021 correndo para fechar as contas e completar o mínimo de 25% em gastos no setor de Educação fixado por lei, resolveu comprar, sem abrir um processo licitatório. O empresário Márcio Nogueira Vignoli solto por Habeas Corpus chefiava uma dessas empresas.

Segundo o vereador Ademir Silva (MDB) o empresário preso por envolvimento na operação da Paraíba é sócio de uma das fornecedoras de Divinópolis. Em março, o vereador denunciou que, após análise da compra feita pelo Poder Executivo e pesquisa de preços feita por ele, foram identificados custos mais altos que o normal dos notebooks adquiridos para a Educação. Segundo ele, a prefeitura pagou mais de R$ 4 mil por computadores que custariam, em média, R$ 2.500 cada um. O parlamentar afirmou que, em dezembro do ano passado, que o Poder Executivo gastou na Secretaria de Educação, ao todo, mais de R$ 30 milhões.

Durante entrevista ao Sistema MPA, o vereador Ademir Silva apresentou alguns questionamentos. Segundo ele algumas empresas que participaram da ata de compra tem razão social diferente, mas estão registradas no mesmo endereço.  Além de sócios proprietários que figuram em contratos de mais de uma empresa. Um deles o empresário Marcio Vignoli preso na operação da Paraíba.

Em vídeo na rede social prefeito desafia vereadores a apurar rachadinha na aprovação de projetos de zoneamento

 

Publicidade