Publicidade

“Cremação liquida” é proibida em diversos lugares do mundo

Postado em 14/06/2020 7:40

Foto: Reprodução/Bio-Response Solutions

Quando morremos, damos basicamente duas opções para nossos entes queridos lidarem com nosso corpo: enterrar em algum canto ou cremar e nos tornarmos cinzas. Mas existe uma terceira forma, considerada a mais amigável de todas, com menos uso de combustíveis fósseis e sem deixar para trás dejetos.

Chama-se “cremação líquida”, mas é proibida em muitos lugares do mundo. Antes de tudo: o que é cremação líquida? É um processo que utiliza química para acelerar processos naturais de decomposição corporal, cuja primeira máquina foi patenteada em 1888, por Amos Herbert Hobson, na Inglaterra.

O corpo é colocado numa câmera e submetido a pressão, calor e uma solução de hidróxido de potássio ou hidróxido de sódio. Ele fica lá mergulhado por cerca de uma ou duas horas e sai completamente dissolvido. Então, por que ele é proibido em 30 estados americanos e permitido apenas em oito, além da proibição em diversos países?

Tem muito a ver com a forma como nós, como sociedade, encaramos a morte. O método assusta porque a impressão que fica é que o corpo inteiro desce pelo ralo. Isso é encarado como um “desrespeito” com o corpo, uma vez que ele aparentemente é tratado de forma similar ao esgoto.

Publicidade
Veja também
Noticias relevantes:
Comentários *Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. comentarios
Publicidade
Publicidade
error: Este conteúdo é protegido!