Publicidade

Cientistas descongelam carcaça de rinoceronte-lanudo que pode ter até 40 mil anos

Postado em 02/02/2021 7:40

Um rinoceronte-lanudo foi descongelado e revelado pela primeira vez desde que morreu na tundra congelante da Sibéria, na Rússia, há possivelmente 40.000 anos. O animal da espécie extinta estava bem alimentado e acredita-se que morreu depois de ficar preso em um pântano ou rio e se afogar.

Especialistas também acreditam que ele pode ter sido perseguido e atacado por predadores, possivelmente leões da montanha extintos. Os rinocerontes-lanosos já foram comuns em toda a Europa, alcançando o oeste até a Inglaterra e o leste até a China e Coréia do Sul, antes de se extinguirem devido à mudança climática há cerca de 14.000 anos.

O rinoceronte adolescente mede quase 2,4 metros de comprimento e tinha cerca de 3 a 4 anos quando morreu às margens do rio Tirekhtyakh, no distrito de Abyisky, no Ártico de Yakutia, a região habitada permanentemente congelada mais fria do mundo.

Advertisement

O animal foi encontrado com dentes intactos e um chifre e foi descoberto por Alexei Savvin, que alertou as autoridades, o que permitiu que a espécie fosse cuidada e transportada para estudos adicionais na capital regional Yakutsk.

Os especialistas então descongelaram a carcaça e agora estão começando testes para aprender mais sobre sua vida e morte. Algumas das primeiras investigações sobre os restos mortais envolveram a inspeção da carcaça descongelada em busca de marcas de dentes de predadores, possivelmente leões.

Os especialistas também informaram que o animal está 80% preservado devido à sua sepultura gelada, mas não revelaram se o DNA pode ser suficiente para os cientistas tentarem trazer a espécie extinta de volta à vida.

Comente! *Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Publicidade
Veja também
Publicidade
Publicidade
Publicidade
plataforma ead
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
error: Este conteúdo é protegido!