Pets também podem ter problemas cardíacos

Postado em 06/10/2018 14:38

Pets também podem ter problemas cardíacos

Fonte: Revista Encontro

 

Os problemas cardíacos em cães e gatos tendem a aumentar com o avanço da idade, sabia? Por isso, o check-up de seis em seis meses é fundamental para a prevenção e diagnóstico precoce de problemas cardíacos nos animaizinhos. “Todas as doenças podem ser controladas com medicação, retardando a evolução e trazendo qualidade de vida aos bichinhos de estimação, desde que diagnosticadas no início”, orienta a médica veterinária Michelle Caroline Claviço, da Petz.

Segundo a especialista, a cardiopatia mais comum em cães é a endocardiose, uma alteração que atinge as válvulas do coração e faz com que o órgão deixe de bombear corretamente o sangue. Esse tipo de doença afeta principalmente os cachorros de porte pequeno, como poodle, teckel e cavalier. Já raças como cocker, boxer e terra nova são mais propensas à cardiomiopatia dilatada, caracterizada pela dilatação do ventrículo por uma alteração do músculo cardíaco, informa a veterinária.

Em gatos, o problema mais comum do sistema cardiovascular é a cardiomiopatia hipertrófica, causada também por uma alteração do músculo cardíaco, alerta Michelle Claviço. O problema pode provocar trombose e embolia, com a formação de coágulos por não conseguir bombear corretamente, além de morte súbita.

Uma outra doença que tem preocupado os tutores é a dirofilariose, provocada por um verme que se aloja no coração dos pets e é transmitida por mosquito. A incidência é maior no litoral, mas há registros também em outras regiões.

Tratamento

“Os problemas cardíacos não têm cura, mas o tratamento com medicamentos pode prolongar mais a vida do bichinho, com bem-estar. No caso da dirofilariose, além do tratamento à base de vermífugos, um medicamento que funciona como uma vacina previne contra o parasita dirofilária, causador da doença”, afirma a especialista.

 A orientação para os bichinhos que se encontram nessa situação é não fazer exercícios bruscos, manter o ambiente arejado para evitar hipertermia, fazer exames esporádicos e check-up de seis em seis meses – incluindo exames como eletrocardiograma, ecocardiograma, ultrassonografia e de sangue, para verificar possíveis doenças associadas.

Michelle Claviço cita alguns sinais que indicam doenças cardiovasculares nos pets:

A especialista aproveita para dar oito dicas para prevenir problemas cardíacos e melhorar a qualidade de vida dos bichinhos:

Veja também
Comentários *Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. comentarios
WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Real Time Web Analytics