Hospital Regional e o Coronavírus: Prefeitos da região disponibilizam equipe técnica e pedem governo recursos para comprar de equipamentos

Postado em 24/03/2020 15:18

Os prefeitos da região se reuniram nesta terça-feira (24) para discutir a situação do Hospital Público Regional diante da pandemia do coronavírus. Representando Divinópolis, o prefeito Galileu Teixeira Machado disse que na última sexta-feira, conversou com o chefe de gabinete do governador Romeu Zema e expôs a situação. Segundo o prefeito de Divinópolis, em coletiva transmitida pela internet, ressaltou que de 50 a 100 leitos instalados no Hospital Público Regional já auxiliariam num primeiro instante.

O recurso de 20 milhões de reais, oriundos do estado, segundo o prefeito, serviria para comprar equipamentos para o hospital e assim, desafogar outras unidades de saúde. Uma carta com a assinatura do prefeitos dos 54 municípios da região será entregue ao governador Romeu Zema.

O prefeito de Claúdio e presidente do Cisvi, José Rodrigues Barroso, disse que a cidade já tomou algumas medidas. “Todos municípios já fizeram decretos para alterar a situação do comércio e evitar que mais pessoas procurem os serviços de saúde com sintomas da Covid-19”, esclareceu. Na cidade não sequer um leito de CTI.

Edson Vilela, prefeito de Carmo do Cajuru e presidente do Cis-Urg também destacou que, por enquanto, o isolamento social é a melhor alternativa. E que os 20 milhões de reais do governo do Estado iriam permitir a compra de equipamentos. A ideia é que entre 180 a 200 leitos seriam suficientes para enfrentar a pandemia na região.

Em relação à gestão do hospital, o prefeito de Cláudio disse que o Cis-Urg teria condições para assumir a parte administrativa e também humana do hospital regional. Já o custeio do funcionamento do hospital seria repartido entre todos os municípios.

“Em relação ao custeio, sabemos que quando tem Hospital Regional autorizado a funcionar, tem a contrapartida do governo federal e do estado. Isso está associado a participação dos municípios, mas depende de recursos do estado e união. No momento, dispomos de pessoas para atender no hospital. A gestão dele seria junto com o Cis-Urg, composto por 54 municípios. O nosso consórcio pleiteou junto ao estado, o trabalho de gestão, mas não estamos discutindo gestão. O que vamos conseguir de leitos. Não queremos passar pelo que a Itália passou”, disse o presidente do Cis-Urg e prefeito de Carmo do cajuru, Edson Vilela.

Outra situação exposta durante a coletiva de imprensa transmitida pela internet diz sobre um auxílio financeiro ao Hospital São João de Deus sobre a abertura de novos leitos.

HOSPITAL DE CAMPANHA

Também não foi descartada a possibilidade de uma mobilização junto ao empresariado local, caso o governo do Estado não libere o recurso.

“Caso não consigamos sensibilizar o estado para liberar o recurso, a ideia é trabalhar junto com a iniciativa privada. Se fizermos uma campanha com esses empresários, conseguimos alavancar recursos financeiros para investir nessa estrutura. Vamos pegar parte desse recurso para colocar no hospital regional. Isso será uma segunda alternativa,  que exigirá muitos custos. Mas queremos fazer do hospital regional um hospital de campanha’, declarou Edson.

Ainda não há estimativa de custo para colocar o Hospital para funcionar, mas a principio, a abertura de uma ala para até 140 leitos traria certo alívio. De acordo com os gestores dos municípios, para concluir todo o hospital e equipá-lo seriam necessários aproximadamente 100 milhões de reais. 

Veja também
Comentários *Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. comentarios
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
error: Este conteúdo é protegido!