Estado confirma mortes por H1N1 em Divinópolis, Formiga, Pará de Minas e Capitólio

Postado em 12/07/2016 7:41

H1N1Quatro pessoas morreram, desde o início de 2016, em cidades da região Centro-Oeste de Minas, por complicações causadas pelo Influenza H1N1. Exames laboratoriais confirmaram a síndrome respiratória aguda grave por Influenza como causa de mortes em Formiga, Divinópolis, Pará de Minas e Capitólio neste ano. A informação consta no “Informe Epidemiológico da Gripe”, divulgado na sexta-feira (8), pela Secretaria de Estado de Saúde.

Formiga teve uma morte confirmada por exame. No dia 8 de abril, a Prefeitura confirmou que estava investigando a causa da morte e acompanhava a evolução de outro, suspeito de contaminação pelo vírus zika. De acordo com o secretário municipal de Saúde, Ronan Rodrigue, o caso de óbito levou o Município a antecipar a campanha de vacinação contra os vírus de gripe chamados de Influenza. Até o momento a cidade já registrou dois casos de Influenza do tipo A não subtipado. Duas outras mortes por Influenza de tipo não identificado fazem subir para cinco o total de mortes por gripe na cidade deste o início do ano.

Divinópolis, Pará de Minas e Capitóliotambém tiveram, cada, uma morte causada por H1N1 já confirmada. Porém, as três cidades ainda não somam morte por outros tipos de gripe desde o início do ano.

Medidas

No mês de abril, Divinópolis investigava três casos suspeitos de contaminação pelo vírus H1N1. Por causa disso, a Secretaria Municipal de Saúde decidiu antecipar para o dia 16 o início da campanha de vacinaçãomarcada para começar no dia 30. O Estado confirma uma morte na cidade.

Em Pará de Minas, a morte de um jovem de 33 anos pela doença foi confirmada em maio. Já o óbito confirmado pela doença em Capitólio foi confirmado pelo Estado no dia 2 de junho.

Em Minas

Em todo o Estado já foram notificados 363 óbitos pela doença neste ano, o que corresponde a 10,5% dos casos. Dos 363 óbitos notificados, 76 foram confirmados para o vírus Influenza, sendo 71 decorrentes da influenza A e 2 por Influenza B.

Dentre esses óbitos houve também um fora de Minas. É o caso de um paciente que tinha residência em município de São Paulo e foi atendido em Paracatu. A morte foi atribuída ao vírus Influenza B. Em outros 3 óbitos por Influenza, não foi possível classificar o subtipo do vírus.

Entenda a doença

Ainda segundo a SES, na maioria das vezes os casos de gripe são leves e se resolvem espontaneamente sem sequelas ou complicações. Entretanto, o quadro pode se agravar em pessoas que tenham organismo mais vulnerável e gerar outras doenças, como a síndrome respiratória aguda grave. “Daí a importância de uma vigilância ativa nesse público. Sendo assim, é de notificação compulsória os casos dessa síndrome”.

Em todo o Estado, foram notificados 3.448 casos de síndrome respiratória aguda grave, dos quais em 1.691 (49,0%) houve coleta de material para análise. Desses casos com amostras processadas, 288 (17,0%) foram classificados como a síndrome gerada pela Influenza e 27 (1,6%) como outros vírus respiratórios.

Dos casos associados à Influenza, 274 (95,1%) eram Influenza A e 11 (3,8%) eram do tipo B. “Naqueles em que foi identificado o vírus A, o subtipo A(H1N1)pdm09 é o de maior proporção, com 176 (64,2%) e outros com 98 (35,8%) eram Influenza A não subtipado.

.

Fonte: Tribuna Minas

Veja também
Comentários *Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. comentarios
WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com