Boletim aponta óbito suspeito de Covid-19 em Divinópolis

Postado em 05/05/2020 19:33

O boletim desta terça-feira (05/05) sobre os casos de coronavírus no município, divulgado pela Prefeitura de Divinópolis, através da Secretaria Municipal de Saúde (Semusa), aponta um óbito suspeito no município, um homem, de 43 anos, com doença hepática crônica, que faleceu nesta madrugada, na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Padre Roberto. Houve também o aumento de 31 casos notificados em relação ao boletim divulgado na última segunda-feira (04/05). Ao todo já são 1544 casos suspeitos da doença. As informações são da plataforma FormSuscap.

 

O número de confirmados também aumentou, passando de 101 para 105 casos, contra 154 descartados. Representados por 55% do sexo feminino e 45% do sexo masculino. Até o momento, Divinópolis teve um óbito decorrente de Covid-19.

 

Dos confirmados, a faixa etária mais atingida é de 40 a 59 anos com 50 casos; 36 pessoas tem entre 20 a 39 anos; seguida da faixa etária de maiores de 60 anos com 17 confirmados; um tem entre cinco e nove anos e outro entre 10 e 19 anos.

 

Quanto aos casos notificados, 54% pertencem ao sexo feminino e 46% ao sexo masculino. Em relação à faixa etária dos mesmos, o novo registro mostra:  25 casos para a população menor que 1 ano; 95 entre 1 e 4 anos; 41 entre 5 e 9 anos; 87 entre 10 e 19 anos; 703 entre 20 e 39 anos; 413 entre 40 e 59 anos; e 179 entre as pessoas com idade superior a 60 anos.

 

No município, o índice de infecção por 100 mil habitantes é de 44,08. A taxa de ocupação de UTIs é de 49,1% levando em consideração toda rede de saúde.

 

Em relação aos pacientes internados nas redes hospitalares do município e que apresentam quadro clínico compatível de Covid-19, o número tmbém teve um aumento; 25 estão na enfermaria e 16 em Unidade de Terapia Intensiva (CTI).

 

Dos pacientes internados ou que foram atendidos no ambulatório, e estão em isolamento domiciliar, são 872 ao todo.

 

O secretário da pasta, Amarildo Sousa, ressalta a importância da conscientização da população para evitar uma onda de infecção, o que causaria o colapso da rede de saúde. “Quanto mais a população aderir as medidas e respeitar os protocolos de combate ao Covid-19, menos contaminação teremos e consequentemente menos internações. Assim conseguiremos evitar uma contaminação em massa, o que possibilitaria passar por este momento sem que haja um colapso na saúde, prestando o melhor atendimento e obtendo um maior número de curas”, comenta Amarildo.

 

É importante que a população reforce os cuidados de higiene, faça uso constante de máscaras, evite aglomerações e respeite o isolamento social, para que as ações tomadas por parte da administração tenham êxito.

Veja também
Comentários *Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. comentarios
error: Este conteúdo é protegido!